Os grisalhos brasileiros estão mais conectados

Consumidores de 60 anos ou mais passaram a ter uma vida digital mais ativa. Confira insights da mudança do perfil de consumo do público

Foto: Shutterstock

O Euromonitor publicou seu tradicional estudo global de tendências para 2022 que aponta como um de seus destaques, os “Idosos Digitais”. No ano de 2021 muitos estudos de mercado demonstraram que houve um aumento do acesso digital dos consumidores grisalhos em função da pandemia e da necessidade de adaptação às restrições, como o isolamento social e o fechamento do comércio não essencial.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

Os consumidores com 60 anos ou mais passaram a realizar compras online, acessar serviços financeiros, serviços de saúde, buscar informações sobre diversos assuntos e experimentar formas de entretenimento no ambiente digital, como música, vídeos e games.

No gráfico a seguir, é possível visualizar as principais atividades realizadas pela internet como: navegar na web, procurar notícias e informações, visitar redes sociais, poder socializar e se conectar com família e amigos, etc.

idosos

Fonte: Euromonitor

O acesso ao ambiente online foi facilitado especialmente pelo smartphone, que democratizou o uso da internet inclusive entre os idosos. É importante destacar que apesar do aumento da penetração, a literacia digital é ainda uma barreira para muitos consumidores mais velhos, que por serem migrantes digitais tardios, possuem mais dificuldade em navegar com desenvoltura nos sites, redes sociais ou aplicativos, etc.

O caso é que a experiência nem sempre é positiva e os grisalhos se sentem confusos e frustrados com a dificuldade que enfrentam nesses ambientes digitais. Muitas vezes são vítimas de golpes cibernéticos pois são presa fácil justamente por falta de conhecimento da conduta maliciosa de criminosos.

Em geral, segundo o Euromonitor demonstra, os consumidores com 60 anos ou mais buscam ter uma vida mais simples e tendem a aceitar tecnologias que facilitem seu dia a dia, como reconhecimento facial para personalizar interações, assistentes de voz, robôs auxiliando com informações em lojas físicas, pedidos de restaurantes de delivery, etc. No quadro abaixo, é possível ver essa adoção de certos dispositivos que possibilitam o acesso às soluções para suas necessidades:

idosos

Fonte: Euromonitor

Outro fenômeno que é muito interessante evidenciar são os influenciadores digitais grisalhos que produzem conteúdo online e possuem milhares de seguidores. Atuam como embaixadores de certas marcas, produzindo conteúdo relevante e desafiando o paradigma de que o velho é avesso à tecnologia. Um dos exemplos que gosto de destacar é o do Ary Fontoura  que atua nas principais redes sociais como Instagram e TikTok no auge dos seus 89 anos e faz muito sucesso.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Ary Fontoura (@aryfontoura)

As publicações são bem-humoradas, divertidas e agregam conteúdo de fácil compreensão aos seguidores. O protagonismo dos influenciadores digitais da terceira idade vem crescendo nos últimos anos no Brasil e representa uma alternativa interessante para a comunicação das marcas.

As empresas devem ter atenção especial em oferecer serviços digitais que também sejam adequados ao público grisalho e, para tanto, devem ouvir suas dores ao acessar a web e os dispositivos tecnológicos. O entendimento da jornada é muito importante para detectar as melhorias necessárias que podem proporcionar uma melhor experiência do usuário, independentemente da sua idade.

Leia mais: Como vai a sua relação com os assistentes de voz?

A inclusão digital beneficia a todos no mercado, consumidores mais velhos e empresas. Os consumidores idosos podem se beneficiar ao acessar muitos serviços disponíveis online e melhorar sua qualidade de vida. Por outro lado, as empresas ampliam o acesso e a penetração de suas marcas junto a consumidores nem sempre priorizados pelo mercado.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente 

*Tania Zahar Mine é diretora da Trade Design e professora de Pós-Graduação na ESPM e na FIA.


+ Artigos

Abismo digital e a conexão desigual no Brasil

Perguntas relevantes iluminam as decisões baseadas em dados




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS