Por que a omnicanalidade extrapola a integração de pontos de contato

As empresas devem entender que a união de canais vai além do ambiente digital e do atendimento, percorrendo toda a jornada

Pensar em experiência do cliente, hoje, é pensar em omnicanalidade. Mas o que esse termo de fato representa? Fala-se muito sobre a troca fluida entre canais – do digital para o telefone, por exemplo –, dentro do contexto de relacionamento e atendimento, ou seja, no pós-venda. Mas e o restante da jornada? Como afirma Anna Moreira Bianchi, CEO da NeoAssist, foi-se o tempo em que as experiências se dividiam entre o digital e o físico. Hoje, elas se misturam – e isso vale, inclusive, para as compras.

É por isso que, cada vez mais, o conceito de phygital tem ganhado consistência. Para atender a esse novo mundo, não basta enviar um SMS ao fim do atendimento telefônico. Para ser omnichannel, é preciso, também, ter pontos de venda físicos integrados com o e-commerce, por exemplo, viabilizando uma retirada em loja que de fato funcione.

Em vídeo, a CEO da NeoAssist explica como a omnicanalidade pode ser aplicada, indo muito além dos meios de comunicação com o consumidor.

Confira:


 + Notícias

Comunicação é um fator essencial para a experiência do cliente. Como aprimorá-la?

Transformando a comunicação em resultado: como falar a língua do cliente?

Relacionamento significativo em tempos conectados


 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS