Uber Empresas aposta na retomada da “nova normalidade”

Para o novo gerente geral do Uber para Empresas no Brasil, André de la Torre, a busca pela praticidade deve continuar ditando o modelo dos negócios digitais

Foto: Pexels

O retorno à “nova normalidade” no Brasil segue seu fluxo. Um recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), revelou que a média de óbitos por Covid-19 no Brasil está caindo (2,2%).

No entanto, ainda segundo dados do Conass, o País também contabilizou, neste último domingo (3/4), mais 7.210 casos confirmados. A média diária de infecções pelo coronavírus está em 22.431.

Pelas ruas, o que se vê é um retorno às atividades normais. Pessoas assumindo compromissos em diferentes locais e grupos se locomovendo (com ou sem máscaras) e procurando seguir suas rotinas na esperança de que um dia a pandemia seja assunto do passado.

De olho nessa retomada e “nova normalidade“, empresas de todos os setores também procuram dar continuidade de maneira segurança e produtiva os seus negócios.

Para colaboradores opções como home office, trabalho híbrido (salvo alguns setores onde é imprescindível a presença física), seguem como alternativas já consolidadas como seguras e produtivas também.

Nesse cenário, serviços por meio de aplicativos estão cada vez mais em alta, já que o consumidor se acostumou com sua praticidade e dificilmente seguirá sua vida sem isso.

Atentas na criação de ofertas e serviços que auxiliem seus clientes nessa jornada, a Uber Empresas – braço B2B do serviço de viagens por aplicativo no Brasil -, é uma dessas companhias interessadas nessa dinâmica indissociável entre o digital e a integração com serviços físicos.

Leia mais: Quais aplicativos vão fazer sucesso este ano?

Auxiliar na retomada da “nova normalidade”

É com esse foco que o novo Gerente Geral do Uber para Empresas no Brasil, André de la Torre, assumiu recentemente a área B2B da empresa no Brasil e pretende auxiliar seus clientes nessa retomada da “nova normalidade”.

Normalidade

André de la Torre, Gerente Geral do Uber para Empresas no Brasil – (foto: divulgação Uber Empresas)

“Depois de quase dois anos trabalhando de casa, entendemos que os desafios passam pela oportunidade de ajudar nossos clientes a retornar ao trabalho presencial. Isso significa estarmos conectados com as empresas, além de trazer soluções para os seus colaboradores e clientes”, diz de la Torre.

De la Torre atuava no comando da área de contas estratégicas da Uber para Empresas na América Latina desde fevereiro de 2021. O executivo já comandou times no Brasil e na América Latina e, antes da Uber, liderou equipes e negócios estratégicos na Hewlett Packard, HP inc. e Lexmark.

Formado em Administração de Empresas, tem MBA pela FGV SP, de la Torre tem mais de 17 anos de experiência em desenvolvimento e gerenciamento de negócios estratégicos e soluções para o mercado de tecnologia, com passagens internacionais pelos Estados Unidos, Austrália, América Latina e Europa.

Para o executivo, o Brasil apresenta grandes oportunidades de investimento e crescimento, mas, que estão acompanhadas de grandes desafios. “Seu tamanho continental e a complexidade exigida para chegar a todos os cantos do país, por exemplo”, cita de la Torre.

Entretanto, de la Torre vê nessa complexidade uma das maiores vantagens que a tecnologia da Uber pode oferecer para os seus parceiros de negócios. “Nossas soluções já nascem prontas para serem escaladas, unificando processos e agilizando sua implementação”, frisa.

Porém, de la Torre entende que inovação e legislação devem andar juntas para o sucesso de e avanço seguro de novos serviços digitais.

“É importante lembrar que esse ambiente de inovação precisa ser protegido por uma legislação que incentive o crescimento de todos os atores envolvidos, impulsionando assim a economia por completo. Acredito que o Brasil já tomou passos importantes nessa direção, mas ainda pode avançar bastante nesse sentido”, acrescenta.

Leia mais: Os impactos da LGPD no e-commerce

Utilizar a experiência B2C da Uber para o mercado B2B

Sobre as suas primeiras impressões sobre como direcionar novas estratégias de negócios no Brasil, de la Torre diz que a maturidade do mercado B2C já traz uma grande vantagem para a empresa.

“Desde o primeiro momento, enxergamos um mercado em franca expansão que se alinha às estratégias de Uber para Empresas no Brasil. Temos a grande oportunidade de trazer a experiência já propiciada ao consumidor final para o mercado corporativo e vamos direcionar nossos investimentos e expertise neste sentido”, comenta.

“O ano de 2022 será um marco na estratégia de crescimento de Uber para Empresas no Brasil. Além de, finalmente, estarmos saindo de um período de restrições e circulação limitada de pessoas, temos novos produtos e soluções chegando ao mercado brasileiro de forma pioneira”, diz de la Torre.

Que complementa: “Entre as nossas prioridades está a volta ao trabalho presencial e como a Uber poderá ser uma parceira das empresas nesse momento, atuando não apenas com vouchers, mas com novos produtos, como o Uber Shuttle”, refere-se a uma nova modalidade da Uber que permite a empresas oferecer aos seus funcionários um serviço de veículo fretado por meio da plataforma da Uber.

“Essa solução já está sendo utilizada pela Toyota, por exemplo, que contratou o serviço para apoiar a logística de deslocamento de funcionários para a sua fábrica em Sorocaba. Todo o mercado de benefícios oferece muitas possibilidades e o nosso objetivo é crescer nessa direção”, explica de la Torre.

Praticidade continuará ditando modelo dos negócios digitais

Nesse cenário, é evidente que a digitalização e as novas tecnologias seguem impulsionando as relações de consumo e a busca por novos serviços.

Apesar da retomada à “nova normalidade”, a vivência digital intensificada durante a processo mais agudo da pandemia, arraigou hábitos de consumo no brasileiro que dificilmente deixarão de existir.

De la Torre concorda e percebe que a tecnologia seguirá fundamental nessa consolidação e avanço na esfera do consumo no Brasil.

“Acredito que algumas mudanças vieram para ficar e a tecnologia seguirá exercendo um papel fundamental na recuperação de diversos setores econômicos. Basta analisar como ela está presente em nosso cotidiano, ajudando a encontrar soluções práticas para as nossas vidas, seja no deslocamento urbano ou nas compras do mercado”, avalia.

“A busca pela praticidade deve continuar ditando o modelo dos negócios digitais e, com alguns cliques no celular, teremos acesso a experiências cada vez mais significativas”, evidencia de la Torre.

Segundo o executivo este é o momento para dar prosseguimento a uma história de sucesso da Uber no Brasil. “Queremos continuar crescendo e ajudando empresas com soluções que agregam valor ao relacionamento com colaboradores e clientes”, conclui.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente 


+Notícias

O que esperar da jornada virtual dos aplicativos em 2022? 

Pesquisa aponta redução de consumo entre as Classes C e D 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS