TikTok, empreendedorismo e conexão: o conteúdo é o caminho

Expo Favela traz executivos do TikTok para explicar conceitos da plataforma e estratégias para empreendedores

Foto: Pexels

Para quem é empreendedor e procura encontrar maneiras de movimentar ainda mais o próprio negócio, estar nas redes sociais é fundamental. E engana-se quem pensa que um Instagram é suficiente para obtenção de um bom engajamento com o público: se um Reels já tem um grande alcance, o TikTok o espalha ao redor do globo — e com um algoritmo muito diferente de seu concorrente.

Ainda que o TikTok promova uma plataforma na qual qualquer conteúdo (qualquer mesmo!) possa viralizar, entender como a ferramenta funciona é essencial para usá-la a favor das marcas. E explicá-lo foi o papel de Diego Moreno, analista sênior no aplicativo, e Ronaldo Marques, líder do time de parcerias de conteúdo do TikTok Brasil, que realizaram a palestra “Como o TikTok pode alavancar sua marca pelo conteúdo” no Expo Favela, que ocorreu nos dias 15, 16 e 17 de abril deste ano.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da Consumidor Moderno

“Hoje o TikTok ajuda muito os empreendedores, abre muito espaço, mas é preciso entender como ele funciona. Tem muito espaço para criatividade e tem muito a ver com o algoritmo”, inicia Ronaldo.

Um algoritmo que foge do comum e conquistou os brasileiros

Se o TikTok conquistou mais de um bilhão de usuários o redor do globo, esse marco não foi à toa. Diferente de outras redes sociais, a plataforma se tornou tão popular — e até mesmo viciante, vale dizer — porque desenvolveu uma nova maneira de promover conteúdo em vídeo por meio de um novo algoritmo superinteligente.

“O algoritmo do TikTok foi pensado para não ser uma rede social, por isso que ele consegue viralizar tão bem quando o conteúdo é interessante, independente da quantidade de seguidores. Ele se encontra de acordo com as suas preferências, com base no que você busca no ‘descubra‘. Ele monta uma ‘for you’ que é feita para você e vai ser preenchida a partir do conteúdo. Nenhuma ‘for you’ nunca vai ser igual a outra, ela é personalizada”, comenta Diego.

Leia mais: Direito no TikTok? Influenciadores ensinam sobre Direito do Consumidor na rede chinesa

Toda essa personalização, vale dizer, está amplamente conectada ao conteúdo. Como explica Ronaldo, no TikTok, pouco importa o número de seguidores, a divulgação daquele vídeo em outros lugares. O que importa, de fato, é a qualidade e a criatividade do conteúdo.

“Desde o Orkut, precisamos para consumir conteúdo e divulgar conteúdo seguidores. E isso acontece desde muito tempo em plataforma digitais, ou seja, quem era muito popular no Orkut tinha mais visualização do seu conteúdo”, comenta o executivo. “O Tiktok chegou com uma outra proposta, de apresentar outras pessoas, tudo de acordo com o conteúdo gerado ali dentro, da música. É algo muito personalizado. É o conteúdo que viraliza, não o número de seguidores. Você não foca na persona, e sim na roteirização”.

E dá para viralizar no TikTok sem as “dancinhas”?

Esse é outro ponto que os executivos desmentiram sobre o TikTok: o conteúdo, ainda que tenha muita música e coreografias, vai muito além das dancinhas.

“Tem um preconceito, um estigma de pensar que o TikTok é só dança. E não é só para isso que o aplicativo serve, ele é um espaço plural, diverso, um lugar para você fazer o que faz de melhor. Dá para falar de qualquer coisa no aplicativo, basta ter um bom roteiro e um conteúdo criativo”, complementa Diego.

Mas alcançar o famoso milhão de visualizações em um vídeo pode não ser tão simples assim. Embora qualquer pessoa possa fazê-lo, há algumas estratégias para manter um público engajado na comunidade do TikTok.

“Não tem fórmula exata para viralizar no TikTok, mas tem algumas dicas. A primeira é brincar com a informação, não precisa ser só música e dança, você pode trazer situações engraçadas, trazer um conteúdo diferente. E focar sempre nos primeiros segundos para chamar a atenção, porque depois o nível de visualização cai bastante, é fundamental”, acrescenta Diego.

Leia mais: Youtube ou TikTok: quem ganha a corrida por usuários na internet?

Outro ponto é ficar de olho nas hashtags. “As campanhas são bem focadas, muitas vezes, a conteúdos específicos. Então, é preciso ficar muito atento às hashtags do próprio aplicativo, de explorar tudo. É um espaço, na verdade, muito favorável ao crescimento do empreendedorismo”, aponta Ronaldo.

Por fim, Diego finaliza alertando à comunidade do TikTok, que é muito ativa e tende a ser mais simpática, uma característica muito marcante da Geração Z. “A comunidade do TikTok na verdade é muito ativa, e ela é viciada no conteúdo. No fim, nesse aplicativo, vai além da música, vai além das estratégias: quem manda é o conteúdo”, conclui.


+ Notícias

Cinco estratégias que toda marca deveria usar para ter sucesso no TikTok

Viralizando sua marca: como o TikTok pode melhorar a experiência do cliente? 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS