As 7 atitudes que o mercado espera do profissional 45+

Estar alinhado com as novas exigências do mercado vai além de dominar tecnologias; especialista elenca 7 atitudes que o mercado espera deste profissional

Foto: Pexels

Você tem mais de 45 anos e está buscando recolocação profissional no mercado? Então você precisa ler este conteúdo.

O Brasil tem mais de 28 milhões de idosos (acima de 60 anos), número que representa 13% da população do país. Esse número pode dobrar de tamanho nas próximas décadas, de acordo com as estatísticas do IBGE (2018). Em 2043, um quarto da população deverá ter mais de 60 anos, enquanto a proporção de jovens até 14 anos será de apenas 16,3%.

Com o envelhecimento da população, as empresas certamente irão precisar aderir à contratação de profissionais seniores.

Para Cristina Sabbag, CDO (Chief Diversity Officer), sócia e Principal Researcher da Talento Sênior (empresa que atua na inclusão de profissionais 45+ no mercado de trabalho e uma das empresas do grupo Talento Incluir) definir prioridades e combater o preconceito com atualização e conhecimento pode ser o diferencial para estes profissionais.

“Os profissionais maduros podem e devem continuar suas carreiras profissionais se assim desejarem. Para isso, é fundamental não deixar se levar pelo etarísmo que desmotiva sua atuação. Porém, é preciso estar atento e sensível às novas exigências do mercado de trabalho. É preciso combater o preconceito com estudo, atualização e conhecimento, com mente aberta para novas formas de fazer seu trabalho”, avalia Cristina Sabbag.

Estar alinhado com as novas exigências do mercado vai além de dominar tecnologias, segundo a especialista, que indica as 7 atitudes que o mercado espera dos profissionais maduros.

1.Entender o mundo fora das grandes corporações

O mercado aponta novas oportunidades para profissionais maduros, fora das grandes corporações. Para entendê-las é preciso se atualizar sobre novas práticas e tendências do mercado em geral. Cursos que trazem temas atuais, acompanhar estudiosos futuristas, novas tecnologias, metodologias, novos processos e profissões são indicados. Manter-se atualizado é um ‘passaporte carimbado’ para conquistar novas experiências de trabalho;

2. Saber trabalhar com dados

Sabemos que hoje em dia os dados são valores estratégicos para as empresas. Entender e saber interpretá-los é um diferencial importante e bem avaliado pelas empresas;

3. Identificar suas soft skills

Tão importante quanto saber quais são as habilidades comportamentais, que incluem: pensamento crítico, comunicação, letramento digital, multitarefas, alteridade, dinamismo, intraempreendorismo entre outras, o profissional sênior deve identificar quais são as suas principais softskills e ainda buscar constantemente se desenvolver em cada uma delas.

Leia mais: Lições de reinvenção com a marca que se reinventa há mais de 100 anos

4. Utilizar seu conhecimento tácito

Reconhecer o próprio capital humano (habilidades, experiências e conhecimentos) e quão bem você consegue alavancar esses seus atributos. Mesmo sendo esse tipo de conhecimento mais difícil de ser formalizado e transmitido às outras pessoas, ainda assim é importante não só saber aplicá-los no dia a dia, mas como criar os nexos entre os desafios, pois dele podem surgir futuras inovações;

5. Aceitar a nova ordem das coisas

É preciso estar atualizado sobre as transformações sociais para conseguir trabalhar com outras gerações. Mudar o ultrapassado conceito de “competição” para o de “construção” e “colaboração”. Um bom exercício é ler livros que nunca imaginou ler ou assistir programas diferentes daqueles que está acostumado. Literalmente, “mudar de canal” é importante para entender as transformações do mundo.

6. Participar de processos seletivos cada vez mais digitais

A tecnologia pode e deve ser utilizada para expandir possibilidades e crescimento. O fato de um processo seletivo ser digital não deveria tornar nenhum candidato invisível. Caso isso aconteça, significa que a marca ou a empresa desenvolveu códigos enviesados e precisa reescrevê-los. É preciso usar as ferramentas a seu favor e saber se posicionar. Não descuide de seus perfis nas redes sociais e faça deles uma vitrine do seu conhecimento.

7. Conhecer novos modelos de contrato e trabalho independente

É preciso entender sobre os direitos e deveres nos novos modelos de trabalho. Flexibilidade, trabalho híbrido, home-office, autonomia, são todas possibilidades reais de ganhos para além da CLT. Se bem planejado, os novos modelos já aprovados em lei, podem ser ótimas opções para o profissional e a marca empregadora.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da Consumidor Moderno


+Notícias

As 10 tendências não-óbvias de Rohit Bhargava 

As tendências do futuro dos negócios, segundo Amy Webb 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS