Nova geração de candidatos busca chefes melhores

Pesquisa revela que nova geração de candidatos condena resistência a mudanças, críticas em público e falta de feedback dos chefes

Foto: Pexels

A nova geração de candidatos buscam inspiração em chefes com boa liderança, capacidade de alinhar o time com estratégias da companhia e uma comunicação clara e objetiva.

É o que revela levantamento da Page Outsourcing, consultoria de RPO, programas de talentos (estágio e trainee). De acordo com a pesquisa, realizada em vários países, ajudar os funcionários a desenvolverem seus potenciais e manter uma relação respeitosa apareceram entre as características mais esperadas de um líder.

Segundo a pesquisa, as qualidades mais importantes para as chefias na visão dos candidatos são liderança (60,7%), alinhamento das estratégias do time com os objetivos da companhia (57,8%), boa comunicação (45%), ajuda para desenvolver o potencial dos funcionários (40,9%) e respeito (40,8%).

Principais erros que nunca devem ser cometidos pelos gestores

Os profissionais pesquisados apontaram os três principais erros que nunca devem ser cometidos pelos gestores: resistência a mudanças e não aceitação de outros pontos de vista (48,5%), críticas feitas aos funcionários na frente dos colegas (47,8%) e falta de avaliação e feedbacks (39,3%).

“Falamos muito das competências emocionais para quem está entrando no mercado, buscando promoção ou recolocação, mas os chefes também precisam aperfeiçoar e atualizar essas habilidades”, diz Ricardo Ribas, diretor da PageOutsourcing.

Para Ribas, a relação com o time deve ser conduzida com liderança clara, estratégia e respeito. “As equipes precisam se sentir acolhidas e orientadas para desenvolver seu potencial. Criticar na frente dos colegas e não ouvir opiniões já não são ações toleráveis há tempos, mas infelizmente ainda são pontos relatados por muitos candidatos”, declara Ribas.

O reconhecimento, por sua vez, se traduz para os candidatos por meio de promoção com mais responsabilidades (68%), bônus e aumentos de salário (61,2%) e congratulações no ambiente corporativo (56,6%).

Brasileiro valoriza feedback

Ao comparar as demandas dos profissionais brasileiros com os participantes da pesquisa de outras regiões, os resultados são similares. Pessoas na posição de chefia precisam ter a habilidade de liderança, o que aparece entre as cinco prioridades de todos os grupos.

Já a opinião sobre os erros que nunca devem ser cometidos, mostra que profissionais brasileiros valorizam a avaliação como nenhum outro profissional: 39,3% apontaram este como um dos três principais problemas.

Outro erro grave apontado por brasileiros e candidatos dos demais países são resistência a mudanças e não aceitação de outros pontos de vista.

Já a falta de feedback, um dos principais problemas de gestão apontado por trabalhadores brasileiros, não está listada entre as três principais falhas gerenciais nos demais países participantes do levantamento.

Mercado de transformações rápidas e profundas exige adaptabilidade da liderança

“Vemos que o principal erro, ou a principal falta, citado por candidatos brasileiros e de outros países é justamente o que tem sido exigido nos últimos anos: adaptação a mudanças, valorização dos pontos de vista, de opiniões e de outras formas de solucionar problemas no ambiente profissional. Esse tipo de mentalidade tem menos espaço num mercado de transformações cada vez mais rápidas e profundas, como vimos nesses dois últimos anos”, explica Ribas.

O especialista destaca que a valorização da liderança em todos as regiões é sinal de que as equipes precisam de orientação, mas que a escuta ativa e trabalho verdadeiramente em conjunto também desempenham papel fundamental.


Assine a nossa newsletter e receba as principais notícias da Consumidor Moderno  

+ Notícias

CEO da W Futurismo: saúde e sustentabilidade são as pautas da década 

Fala, CEO: pesquisa mostra quais as expectativas das lideranças do varejo global 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS