Quem são os bilionários da tecnologia no Brasil?

Não é só no Vale do Silício que estão os responsáveis por algumas das mais conhecidas e utilizadas soluções tecnológicas do país

David Vélez, CEO do Nubank

Jeff Bezos, Mark Zuckerberg, Elon Musk… Os feitos – e também os apuros – dos megaempresários do Vale do Silício são tantos e tão variados que além roubar espaço na mídia nos levam a esquecer que aqui no Brasil também existem personalidades que atingiram o sucesso e a fortuna graças à tecnologia.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Segundo o Tech Report 2021, estudo divulgado no final do ano passado pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) em parceria a Neoway, o faturamento total do setor de tecnologia brasileiro foi de R$ 426,9 bilhões no ano anterior. Esse montante representa 4,6% do PIB do país.

O mesmo estudo aponta que o número de empresas do setor cresceu 55% desde 2018 e, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas do setor de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) – Brasscom, a expectativa é que R$845 bilhões sejam investidos na área nos próximos dois anos.

Aquecido, o setor foi ainda mais potencializado pela pandemia nos últimos dois anos dando lugar ao nascimento de empresas gigantes que oferecem os mais diferentes tipos de serviços. Por consequência, seus líderes se tornaram personalidades do mercado. A seguir, listamos cinco empresários que – com ideias inovadoras e captação de recursos – fizeram fortuna do zero no Brasil com empresas de tecnologia e startups.

David Vélez – Nubank

Em poucos anos, o engenheiro e empresário colombiano David Vélez, CEO do Nubank, construiu um patrimônio avaliado em 5,2 bilhões de dólares, o que lhe coloca na seleta lista de bilionários do país. Fundado em 2013, o Nubank se tornou em 2021 o banco mais valioso da América Latina e abriu seu capital na Bolsa de Nova York.

Vélez é um dos responsáveis por posicionar a fintech brasileira, que também já está presente no México e na Argentina, entre uma das principais do mundo. Atualmente, o Nubank possui mais de 53 milhões de clientes e pode ser considerado o principal responsável pelo público brasileiro aprender a confiar em uma instituição bancária digital.

Jonathas Freitas – ManyContent, BlitzPay e TouroClass

Jonathas é sócio da ManyContent, BlitzPay, TouroClass e diversas outras startups, o que o coloca com um verdadeiro “empreendedor serial”, atuando como investidor anjo em dois fundos, o seu pessoal BigDream, e possui uma participação no DreamMaker. Combinados, os dois fundos juntos possuem, aproximadamente 50 startups no portfólio, auditadas e avaliadas em cem milhões de dólares.

Jonathas Freitas tem seu nome ligado à criação de mais de 40 startups de tecnologia, que já ultrapassaram a marca de um milhão de usuários. O empresário, que também é palestrante, foi vencedor do Prêmio Jovem Brasileiro como empreendedor do ano em 2017 e em 2021 ganhou pela segunda vez o prêmio Digital Awards.

Henrique Dubugras – Brex

Com 25 anos, Henrique Dubugras é um dos brasileiros bilionários no ranking da Forbes. Junto com seu sócio, Pedro Franceschi, também de 25 anos, ele detem uma participação de 28% da fintech, Brex o que representa cerca de US$ 1,5 bilhão (R$ 7 bilhões) em sua conta.

Henrique Dubugras fundou sua primeira empresa no Brasil com 16 anos, sempre com Pedro Franceschi ao seu lado, a Pagar.me, que foi vendida para a Stone em 2016. Um ano depois surgiu a Brex, que tem sede São Francisco, nos Estados Unidos. A fintech é vista como revolucionária no setor financeiro com um sistema operacional financeiro que integra cartões de crédito, contas bancárias, pagamentos, despesas e contabilidade.

Pedro Franceschi – Brex

Sócio de Henrique Dubugras na Brex, estudou na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Os dois se conheceram no Twitter, se tornaram amigos por serem adolescentes que gostavam de programação e tornaram-se sócios. Assim, como o amigo, sua conta bancária passa da casa do bilhão de dólares.

A Brex hoje emprega cerca de mil pessoas e viu sua receita mais que dobrar no ano passado. Assim Pedro Franceschi ainda deve permanecer na lista da Forbes por muito tempo.

Mateus Davi – GR Bank

Ex-motoboy da Zona Norte de São Paulo, o empresário Mateus Davi, atua há quase 20 anos no mercado financeiro é membro da Bolsa de Valores de Chicago. No meio da pandemia ele criou o GR Bank, instituição que já alcançou o valor de R$ 1 bilhão de reais no mercado.

As causas sociais e o combate à discriminação pautam o discurso de Mateus Davi e se refletem no GR Bank, um banco que visa defender a diversidade e tem um extenso trabalho social através da fundação GR Together.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

Da tecnologia à sensibilidade: o respeito ao cliente no mercado financeiro 

Dados estratégicos: como utilizá-los para aprimorar a jornada do cliente?




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS