Como funciona o programa que comissiona consumidores da Caedu

A novidade permite que as pessoas criem uma loja hospedada dentro do e-commerce da marca

Foto: Shutterstock

Uma oportunidade de proporcionar renda extra, principalmente para as mulheres, além de fazer com que elas se sintam empoderadas por poder abrir uma loja e ganhar dinheiro fazendo o que gostam. É essa a proposta da Caedu, com a Minha Loja Caedu, um programa que possibilita ao consumidor ter uma loja online dentro do e-commerce da varejista, gratuitamente.

Com uma dinâmica simples, em que é possível reunir os produtos da marca e comercializá-los, o microempreendedor ganha uma porcentagem do lucro em cima de cada peça vendida. Nos 3 primeiros meses a comissão será de 10%.

A iniciativa é uma oportunidade para quem está em busca de renda extra, independência financeira ou até mesmo maior proximidade com o universo da moda.

“Enxergamos a Minha Loja Caedu como uma grande oportunidade para quem está em busca de um dinheiro extra. É um negócio que não exige investimento, dá para vender sem sair de casa e o marketing pode ser feito sem custo, via redes sociais, um dos maiores canais de venda hoje em dia. Estamos bastante otimistas com esse lançamento”, comenta Edson Garcia, CEO da Caedu.

Como a Minha Loja Caedu funciona

Para facilitar o processo de venda, quem entrar para a Minha Loja Caedu contará com toda a estrutura da Caedu, como estoque, site, pagamento, entrega e atendimento ao cliente. Outro ponto positivo do projeto é que o consumidor terá liberdade para deixar o seu negócio personalizado.

É possível dar um nome específico para a loja, que terá um site próprio, e que poderá ser utilizado para a divulgação em redes sociais ou como desejado. Após a venda, o microempreendedor terá até um mês para receber a comissão, já que o pagamento é feito através de um ciclo de vendas mensal.

“Quisemos trazer um projeto que fosse prático para o consumidor e viável de ser realizado. Oferecemos toda a infraestrutura necessária para que haja um sucesso de vendas”, comenta Crystiane Gama Alves, diretora comercial e de marketing da Caedu.

Para criar a Minha Loja Caedu é necessário ser maior de 18 anos, se cadastrar como pessoa física e seguir os seguintes passos:

● Fazer o cadastro no link: http://minhaloja.caedu.com.br/criar-loja;
● Aguardar o e-mail de confirmação do cadastro, isso pode demorar até 48 horas. Importante sempre checar a caixa de spam/lixo eletrônico para conferir caso o e-mail tenha ido para lá;
● Após receber a confirmação do cadastro, acessar a plataforma: https://minhaloja.caedu.com.br/login.

Pronto! A loja estará aberta e é só começar as vendas. Basta acessar as ofertas no e-commerce, copiar os links e iniciar a rede de relacionamento. Só não é permitido a divulgação nos canais oficiais da Caedu.

No painel de login do vendedor, será possível acessar um material mais completo de informações sobre treinamento no menu “Materiais” e “Treinamento” no painel de login. Além disso, caso surjam dúvidas referentes à compra, entrega, pagamento, troca ou devolução, é possível entrar em contato pelo SAC da Caedu através do link https://www.caedu.com.br/ajuda.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Estratégia inovadora foi concebida no pós-pandemia

A iniciativa da Caedu representa – e quiçá é pioneira no varejo brasileiro – em uma vertente diferenciada da experiência do cliente (CX) ao transformar seu e-commerce em uma espécie de marketplace.

Afinal, ao invés de estimular a compra de produtos da loja de forma tradicional, a companhia atua como uma espécie de parceira do consumidor ao colocar infraestrutura e atendimento à disposição para que as pessoas tenham seu próprio negócio e lucrem com isso.

De acordo com Edson Garcia, CEO da organização, a ideia do programa surgiu no cenário econômico pós-pandemia, onde muitos se viram sem saída ao perderem seus empregos.

“Portanto, a ideia nasceu do desejo de possibilitar mais acesso, empoderamento e renda para todas as nossas consumidoras de modo fácil e prático contando com o auxílio de uma empresa parceira como a Caedu”, explica. O executivo ainda revela que a empresa está em amplo processo de digitalização e melhoria na experiência do cliente.

Logo, os próximos passos serão de extrema relevância, tanto em termos de customer relationship management (CRM), quanto de acessibilidade e experiências omnichannel.

“Oferecemos um pacote de benefícios com vantagens exclusivas e únicas para toda nossa base de consumidores. Esse programa de relacionamento é segmentado pelo perfil e comportamento de compra dos clientes Caedu. O programa oferece descontos em diversos produtos o ano todo, bônus de cashback, brindes exclusivos em compras, entre diversos outros”, completa.

Parte dessas medidas tomadas pela organização estão em consonância com as tendências que o relatório Consumidor do Futuro 2022, da WGSN, previa para o ano, que são:

1. A simplicidade importa

Os consumidores estão exaustos. Simplifique o processo de compra, tanto nas lojas quanto on-line, e as vendas devem fluir.

2. Comércio em livestream

O comércio conversacional chegou para ficar. Empresas inovadoras já estão investindo na criação de eventos de compra transmitidos ao vivo para promover as vendas e estimular o retorno sobre o investimento em plataformas sociais.

Leia mais: Live e-commerce une os “ingredientes” favoritos do consumidor para alavancar vendas

3. A evolução dos serviços sob demanda

Os varejistas que disponibilizarem plataformas que permitam compras e entregas coletivas atrairão o público, assim como as marcas focadas nas entregas hiperlocais.

4. Comunicações unificadas

Com a ascensão do comércio unificado, aposte na segmentação psicográfica para garantir que a comunicação seja prática e consistente.

5. Uso de plataformas de RA/RV em nome da conveniência

Cada vez mais consumidores estão usando recursos de realidade aumentada e realidade virtual para testar produtos. Quando se trata desse tipo de tecnologia, pense em menos marketing e mais conveniência.

6. O poder (e a renda) do coletivo

Há um interesse renovado por fazer compras coletivas, tanto em lojas de rua como on-line. Promova o engajamento em âmbito regional e ofereça descontos para determinar qual o melhor retorno sobre o investimento (ROI).

Edson Garcia finalia dizendo que a Caedu é uma varejista de moda com 67 lojas no estado de São Paulo e em Porto Alegre. Possui mais de 2 mil colaboradores e, atualmente, está em processo de expansão e transformação digital com iniciativas além da Minha Loja Caedu, como o desenvolvimento e aplicação de sistema para realizar e gerenciar vendas por aplicativo e por WhatsApp.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Notícias

10 tendências de atendimento ao cliente que toda empresa deveria trabalhar agora

Fincare, a evolução da fintech: feita para ter clientes apaixonados 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS