Experiência

Plataformas de vídeos curtos como estratégia alternativa de marketing para o setor musical

A música, historicamente, move o mundo. O Relatório Global da IFPI revelou que as receitas das músicas gravadas alcançaram US$ 25,9 bilhões ano passado. Como músico e especialista em publicidade, tenho acompanhado de perto o crescimento exponencial da relevância dos aplicativos de vídeos curtos para o mercado da comunicação, marketing e, principalmente, o fonográfico.

Inúmeros artistas têm percebido o potencial dos vídeos curtos como estratégia de marketing e divulgação de suas novas músicas, uma vez que podem se conectar de maneira mais direta com seu público. Além disso, os famosos desafios e hashtags auxiliam no engajamento e impulsionamento da música e/ou clipe que, anteriormente, necessitava de uma estratégia muito mais robusta de ponta-a-ponta.

Aprenda como produzir vídeos curtos na vertical 

Um exemplo interessante, foi com o grupo É O Tchan. A banda apostou em um projeto musical em formato vertical e que também contou com a participação dos usuários do Kwai para criarem uma coreografia para a nova música do grupo.

A ação teve um alto engajamento na plataforma com a dança de uma usuária escolhida para estrelar o videoclipe oficial, possibilitando uma visibilidade nova e num formato novo para a banda. Dessa forma, plataformas de vídeos curtos assumem cada vez mais o protagonismo no papel de ponte entre artistas e público de forma ágil e relevante.

Vemos também um boom nos acordos globais de licenciamento de músicas sendo assinados com o objetivo de permitir trechos de músicas nos aplicativos de vídeos curtos, fazendo com que as músicas dos artistas dessas gravadoras sejam utilizadas nos conteúdos gerados pelos usuários, ganhando assim maior visibilidade.

São bilhões de usuários no mundo todo que alavancam o volume de acessos diários e consumo constante de conteúdo. Neste sentido, os apps de compartilhamento de vídeos têm que estar presentes nas tomadas de decisão e planejamentos de marketing. As novas tecnologias estão ditando novas tendências: é inegável o poder dessas plataformas em ditar o que será hit ou não.

Hoje, essas redes são poderosos canais com enorme capacidade para aumentar o engajamento e visibilidade do setor artístico em geral. É um mar azul de possibilidades. Os artistas e gravadoras podem e devem se aproximar dessa nova tendência e compreender o potencial dos vídeos curtos como uma ação estratégica ágil e assertiva.

*Por Ari Martire, Head de Sales do Kwai no Brasil.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente


+ Artigos

Live e-commerce une os “ingredientes” favoritos do consumidor para alavancar vendas

Mininovelas originais, a nova tendência em plataformas de vídeos curtos 

Ari Martire

Postagens recentes

Insatisfeita, Geração Z quer mudar cultura corporativa por dentro

Confira 10 empregos mais bem avaliados pela Geração Z e diferenças para os mais velhos

7 horas ago

Quais são as marcas mais admiradas pelos clientes

Pesquisa da Ibevar/FIA elencou as marcas mais admiradas pelos consumidores brasileiros e também por colaboradores

8 horas ago

Como os líderes podem incentivar o trabalho em equipe de qualidade

Segundo especialista da Fundação Dom Cabral é preciso investir em comunicação e criar um ambiente…

9 horas ago

Planos de saúde: como fica os tratamentos fora do rol da ANS?

Tribunais autorizam tratamentos fora do rol da ANS, apesar de decisão do STJ; PL ainda…

10 horas ago

A Avianca e a meticulosa arte de arruinar sua viagem em seis passos

Confira o relato da colunista Evelyn Rozenbaum sobre uma experiência decepcionante com a Avianca, em…

10 horas ago

10 anos de League of Legends: CEO da Riot Games comenta estratégia de CX da marca

Saiba como a gigante dos jogos online trabalha a experiência do usuário em todas as…

12 horas ago

Esse website utiliza cookies.

Mais informação