Experiência

CSU.Cardsystem muda nome para CSU.Digital e dá lição de inovação e solidez

O que leva uma empresa consolidada e com grande reputação no mercado mudar a marca após 30 anos? Para a CSU.Cardsystem, agora CSU.Digital, isso foi a consolidação de um movimento natural que já vinha acontecendo há alguns anos. Diante das rápidas transformações do mercado financeiro no Brasil, a companhia inovou nas soluções oferecidas e evoluiu no modelo de negócios, comprovando a necessidade de antecipação às tendências para manter a solidez no mercado.

Daniel Moretto, diretor executivo comercial da CSU.Digital, explica que a mudança no nome é o resultado de um trabalho de transformações. “O mercado deixou de ser somente de bancos. Surgiram outras empresas do meio digital, como os bancos digitais, o varejo digital, e muita gente se tornou um player dentro do mercado financeiro. A gente veio criando o nosso posicionamento e novos produtos para atender esse mercado. Lançamos a Magnus, uma plataforma na nuvem que nos permite colocar um ecossistema com serviços como Google Pay, Apple Pay e outros, no ar em 60 dias”, diz.

A partir da atualização da empresa, o antigo nicho de clientes que se limitava, principalmente, a bancos, foi ampliado. Atualmente a carteira conta com grandes marcas consolidadas no mercado  e outras que devem ser anunciadas em breve. O que elas têm em comum é o entendimento da importância de ter um serviço de qualidade, escalável e inovador, mesmo que a área financeira não seja o core business.

Esse é exatamente o objetivo da CSU.Digital: ter velocidade na implementação de soluções, convergir físico e digital, estar sempre atualizado com as tendências do mercado, e oferecer a estrutura necessária para um crescimento exponencial. Para isso, estão disponíveis para os clientes serviços como meios e soluções de pagamento em todas as modalidades, nos modelos de crédito, débito, cartões digitais, virtuais e carteiras digitais. Outras facilidades são a inclusão das modalidades de Pix e do pagamento de faturas via criptomoedas.

Reestruturação interna e olhar para o futuro

Paralelamente às transformações, houve a criação de duas unidades de negócio: a CSU.Pays e a CSU.DX. A primeira é o segmento de meios de pagamento e Banking as a Service, focado em velocidade, convergência, robustez e segurança. A segunda se trata da digital experience, operações de atendimento com alta densidade tecnológica e digital, com maior valor agregado e complexidade. “Nos afastamos do contact center tradicional onde o que importa é o número de pessoas sentadas e passamos a reportar o resultado pela quantidade de transações realizadas, porque somos digitais”, explica Daniel Moretto.

O diretor executivo comercial afirma que as mudanças foram apontadas e ensinadas pelos próprios clientes. Dentro da companhia há uma estrutura montada para ouvir o que eles têm a dizer e agir diante disso. “São três pontos de contato fundamentais. O primeiro canal é o são os clientes de base, onde temos a diretoria de relacionamento com o cliente para entender os comportamentos através dos dados. Temos o grupo de Produtos, que faz pesquisas e traz ideias inovadoras. Além da área comercial que é a voz do futuro cliente, onde o time que está no mercado entende o que as empresas estão precisando”, conta Moretto.

Para os próximos anos, a visão da CSU.Digital é que os meios de pagamento vão continuar evoluindo e é preciso estar preparado para isso. “A única constante é a mudança. Então temos que aprender a lidar com um crescimento que deixou de ser linear e passou a ser exponencial. Por exemplo, o metaverso está chegando, já tem empresas grandes investindo nisso, e nós estamos de olho. Temos que nos preparar para entender as novas tecnologias e chegar primeiro, porque quem chega primeiro tem vantagem. No final, quem vai ditar a evolução é o consumidor, nós temos que estar prontos”, conclui.

Larissa Sant'Ana

Postagens recentes

Classes C e D pretendem gastar mais no Dia dos Pais

Pesquisa revela que o ticket médio das Classes C e D aumentou em relação ao…

6 horas ago

Metaverso não é (só) realidade virtual

A realidade virtual é umas das ferramentas de imersão no metaverso, mas a web 3.0…

6 horas ago

Porto Seguro lança cartão que tem a alma e o coração dos carros de Fórmula 1

Lançamento do Porto Seguro Bank traz diversos atrativos para fãs do esporte

11 horas ago

Como a nuvem potencializa a experiência do cliente

Webinar do Consumidor Moderno, oferecido pela NICE, avalia como IA e CX somam esforços à…

13 horas ago

Dark kitchen: como funcionam os restaurantes sem salão

Cozinhas compartilhadas em galpões reduzem custos e têm ganhado confiança de empreendedores e clientes

15 horas ago

Tríade para encantar o cliente gera uma experiência excelente; conheça

Algar Telecom investe em mindset ágil, mentalidade digital e visão de experiência do cliente como…

18 horas ago

Esse website utiliza cookies.

Mais informação