Um hacker teria realizado o maior vazamento de dados da história

Um hacker teria furtado e colocado à venda informações de chineses que estavam armazenados na base da Polícia de Xangai. Se for verdade, esse poderá ser o maior vazamento de dados da história

Tempo de leitura: 2 minutos

4 de julho de 2022

Crédito: Unsplash

Em dezembro de 2020, o Brasil e o mundo ficaram realmente impressionados com o vazamento de dados de 248 milhões de pessoas, entre vivas e mortas, obtidos a partir de um banco de dados do Ministério da Saúde. Porém, esse número será pífio perto da notícia que surgiu nesta segunda-feira (4).

Um hacker alegou ter roubado as informações pessoais de 1 bilhão de cidadãos chineses de um banco de dados da polícia de Xangai, na China. Se for verdade, essa é a maior vazamento de dados da história.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias da Consumidor Moderno

A informação, postada por uma pessoa que se identificou como “China Dan”, foi postada em um fórum para hackers chamada Breach Foruns. Ele colocou à venda 23 terabytes (TB) de dados por 10 bitcoins, um valor que supera R$ 1 milhão.

“Em 2022, o banco de dados da Polícia Nacional de Xangai vazou. Este banco de dados contém muitos TB de dados e informações sobre bilhões de cidadãos chineses”, dizia o post.

As informações do maior vazamento de dados

Ainda segundo China Dan, o conjunto de informações teriam, além de dados cadastrais, detalhes sobre os tipos de crimes associados aos nomes. Ou seja, seriam informações sobre criminosos e vítimas.

“Os bancos de dados contêm informações sobre 1 bilhão de residentes nacionais chineses e vários bilhões de registros de casos, incluindo: nome, endereço, local de nascimento, número de identidade nacional, número de celular, todos os detalhes do crime/caso.”

Nos últimos anos, a China viu vários incidentes de vazamento de dados. Em 2016, informações confidenciais sobre poderosos indivíduos chineses, incluindo o fundador do Alibaba, Jack Ma, foram postadas no Twitter.

A alegação de um hack ocorre quando a China prometeu melhorar a proteção e a privacidade de dados de usuários online, instruindo seus gigantes de tecnologia a garantir um armazenamento mais seguro após reclamações públicas sobre má gestão e uso indevido.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias da Consumidor Moderno 


+ Notícias

Autoridade Nacional de Proteção de Dados virou uma autarquia: o que muda na prática?

5 previsões de proteção de dados e cibersegurança para 2022  




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS