Muito além do carro elétrico: conheça outros combustíveis limpos usados pelas montadoras

A elergia elétrica não é a única novidade em combustíveis limpos nos carros. Há o nitrogênio e até a amônia, um elemento encontrado na urina

Tempo de leitura: 3 minutos

5 de julho de 2022

Não é de hoje que a humanidade busca um substituto para o combustível fóssil usado nos carros, como é o caso da gasolina. E a eletricidade é apenas uma das ideias.

A Consumidor Moderno separou outros exemplos de veículos movidos a outros combustíveis alegadamente limpos, sendo que alguns deles são inusitados e até possuem um desempenho superior aos concorrentes elétricos.

Um combustível limpo a base de esterco?

Bem, o veículo não é movido exatamente apenas a fezes de animais, mas uma mistura entre eletricidade e biomassa.

O carro foi produzido pela ARM Engineering, que concluiu em maio os testes realizados no circuito de Albi, na França. E ele foi super bem.

O carro escolhido foi um Renault Zoe, um carro elétrico que recebeu melhorias para completar um trajeto de 2.055,68 quilômetros sem precisar reabastecer. A distância foi percorrida em 40 horas e cinco pilotos se revezaram no teste.

Para alcançar esta distância, o veículo utilizou uma carga completa de sua bateria e um tanque com 200 litros de G-H3, um biocombustível produzido a partir de esterco e hidrogênio. Ele alimentava uma célula de combustível para gerar eletricidade.

O carro ainda é experimental.

O carro de nitrogênio da Toyota

O Toyota Mirai é uma grata novidade quando o assunto é combustível não poluente. Ele é movido a hidrogênio, o elemento mais abundante no Universo.

No ano passado, o veículo já quebrou dois recordes do Guinness Book quando o assunto é autonomia entre veículos movidos a hidrogênio.

O primeiro recorde foi percorrer pouco mais de 500 quilômetros sem abastecer e não emitiu gases poluentes. Ele liberou apenas água em forma de vapor. Em outubro, o veículo bateu um novo recorde: agora, ele percorreu a distância de 1.360 km.

O veículo já é vendido nos EUA ao salgado preço de US$ 49.500.

Energia solar da Lightyear

Carros movidos a energia solar não são necessariamente uma novidade, porém os últimos movimentos da indústria de automotivos parecem bem promissores.

O exemplo mais recente é o Lightyear One, um híbrido movido tanto a energia solar quanto a elétrica.

Com 5 metros quadrados de uma placa de energia solar e visual cyberpunk, o veículo foi construído pela companhia holandesa Lightyear. E o desempenho tem impressionado.

O carro tem autonomia para rodar 710 km e teria potencial para alcançar 11 mil km a partir da placa de energia solar.

De acordo com a fabrincante, o veículo estará disponível para encomendas a partir do terceiro trimestre deste ano. A primeira linha do carro, de 946 unidades, será produzida na Finlândia, com preço inicial de € 250 mil.

Urina

Em 1990, a novela Araponga, exibida na TV Globo, tinha como um dos pontos altos de sua trama a disputa pelo combustível identificado como Urinolina ou feito a base de xixi.

Bom, o tempo mostrou que a vida imita a arte.

Em maio deste ano, um trator de médio porte da marca John Deere funcionou por várias horas em um teste de campo na Unversidade de Stony Brrok, nos EUA. O combustível? Amônia, uma substância que pode ser extraída da natureza, especialmente da urina de mamíferos.

Essa combustão gera energia rapidamente e tem uma alta densidade. Isso significa que o combustível gerado rende bastante e pode movimentar veículos grandes e pesados, em teoria.

Ao contrário da gasolina e do diesel, o processo químico com a amônia não libera carbono, o que ajudaria a diminuir a liberação de poluentes. Como essa é uma substância já conhecida, existem tecnologias para armazenar e manusear o insumo dentro da indústria.


+ Notícias

Estudo aponta o melhor carro elétrico da atualidade – e não é da Tesla 

Eletromobilidade: desafios e oportunidades para o Brasil 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS