A empresa adaptável: habilidade para ler e antecipar tendências

Diretor de conteúdo e parcerias do Kwai Brasil explica que as companhias devem se atentar às mudanças comportamentais do consumidor

Tempo de leitura: 4 minutos

19 de julho de 2022

Foto: Pexels

Em um mundo em que as transformações ocorrem de forma acelerada, acompanhar as tendências de comportamento e hábitos de consumo é também uma maneira de investir no futuro da empresa adaptável. Conforme o consumidor evolui, é esperado que a empresa acompanhe essas mudanças, o atendendo não só como ele quiser, mas também no lugar onde ele preferir.
Para isso, é preciso ainda entender o perfil do consumidor e como certas mudanças devem afetar mais ou menos a sua forma de atendimento. Como uma empresa deve gerir todos esses dados? As métricas são universais? Como encontrar esses dados?

Para Antonio Abibe, diretor de conteúdo e parcerias do Kwai Brasil, não há uma métrica universal, pois cada companhia possui seu público-alvo com seus respectivos comportamentos e formas de consumo.

“Assim como não há uma fórmula mágica que funcione para todos os negócios, o que há, de fato, são tendências de mercado nos quais os tomadores de decisão devem estar cada vez mais atentos. Como, por exemplo, com a crise sanitária dos últimos dois anos, o mercado passou a se tornar cada vez mais omnichannel. Grandes players passaram a apostar nas mídias sociais e no marketing de influência, que em 2021 chegou a movimentar cerca de R$ 10 bilhões, como parte de seus planejamentos estratégicos”, pontua.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente 

O Kwai, por exemplo, possui uma audiência bastante diversa, que atinge todas as idades e, principalmente, o público acima de 30 anos e fora dos centros urbanos. No total, 45 milhões de brasileiros acessam o aplicativo todos os meses.

Com estes dados, o executivo afirma que é possível desenvolver um algoritmo inclusivo que proporciona uma melhor distribuição do conteúdo ao invés de privilegiar somente criadores com um grande número de seguidores.

“Nós buscamos sempre um entendimento mais profundo sobre a cultura e as tendências locais e isso reflete diretamente na relação que queremos construir com as marcas, por meio da nossa plataforma de negócios Kwai for Business. Cada empresa tem seus próprios KPIs que estão intrinsecamente ligados aos objetivos do negócio e mostram se a estratégia está tendo resultados ou não”, explica Antonio Abibe.

Requisitos para a empresa adaptável

Vive-se, hoje, na era dos dados. É inegável: a chave para prever as mudanças de comportamento dos consumidores está em como se usa os dados para averiguar suas jornadas, identificar padrões e conseguir, por fim, compreender as novas tendências de comportamento. Isso, na prática, reflete a empresa adaptável.

No caso do Kwai, é uma plataforma nativa digital, acessível pelo celular e com usuários conectados, em média, 60 minutos por dia. A companhia, atenta a tudo isso, está procurando interpretar as mudanças de comportamento tanto que, recentemente, foi a primeira rede social no Brasil a fazer live commerce, na qual o usuário pode adquirir um produto sem sair da live — e essa é uma tendência que deve crescer consideravelmente nos próximos anos.

“É importante observar e acompanhar o que tem sido feito no mercado, desde novas tecnologias até processos e como as empresas no geral se relacionam com seus consumidores. Também é importante ficar de olho nos hábitos de consumo dos últimos tempos, que estão alinhados às mudanças comportamentais. Um bom exemplo é a mudança recente, acelerada pela pandemia do Covid-19, na relação entre marca e consumidores, que se tornou mais humanizada”, salienta o profissional.

Conheça o Mundo do CX

“É preciso estar atento aos novos formatos e como explorá-los para tornar a conversa entre conteúdo e marca mais relevante para os consumidores. A publicidade tradicional não funciona mais como antes, o conteúdo de engajamento nas redes sociais passou a ser uma potente solução para as marcas que querem estar presentes onde seus clientes estão. Além disso, a maioria dos usuários diz gostar de um vídeo de marca apenas quando ele é autêntico e reproduz a realidade”, completa Antonio Abibe.

O Kwai tem este modelo de negócio adaptável, criativo, flexível e rapidamente escalável. Como exemplo, há o programa Telekwai de mininovelas e minisséries, que é um formato inovador de entretenimento e dramaturgia, mas que atende a uma demanda que não parecia existir. A plataforma oferece às agências, produtoras e criadores de conteúdo parceiros do projeto um espaço gratuito com grande alcance no território nacional, e que os permite oferecer branded content em seus conteúdos, criação de perfis exclusivos e até mesmo concretizar diversos tipos de parcerias.

Leia mais: Conheça o Kwai for Business: opção para adaptar campanhas publicitárias no app

O timing para novos investimentos

Um dos principais atributos de uma empresa adaptável é a agilidade e perspicácia para prever bons investimentos. Pensando nisso, o Kwai está sempre buscando trazer soluções para o mercado brasileiro que sejam relevantes localmente, tanto para os usuários quanto para as marcas. “Nossa principal missão é tornar a vida das pessoas mais felizes e estamos sempre abertos a novas oportunidades e modelos de negócio que façam com que a gente alavanque a plataforma, e isso inclui olhar para novos investimentos”, revela o diretor de conteúdo e parcerias.

Exemplo recente que une esses ideais foi a ação do Dia Mundial do Rock da organização que, em parceria com o Cineclick, o canal oficial de cinema da plataforma e um dos principais portais sobre a sétima arte, estreou uma página especial e exclusiva sobre o filme Elvis. A página apresenta, para os usuários do Kwai, alguns conteúdos exclusivos sobre o filme e a história do Rei do Rock. Os fãs poderão conferir a trilha sonora oficial, as lições de vida que aprendemos com canções do cantor e ter acesso aos figurinos, músicas e penteados de cinema que foram inspirados no do Elvis.

Leia mais: Os erros e acertos do uso de dados pelas empresas

Também será possível acessar trechos dos filmes que contaram com sua participação especial e que usaram o Rei do Rock como referência. Os usuários do app poderão interagir por meio da tag #EternamenteElvis e usar a playlist especial com músicas de sucesso do artista em seus vídeos para compartilhar inspirações, paixões e homenagear o Rei do Rock.

Antonio Abibe finaliza dizendo que este é um momento excepcional para as marcas, negócios e criadores pensarem em como adaptar suas narrativas para alcançar o consumidor moderno e as tendências desse novo momento de conteúdos em vídeos curtos: a correria do dia a dia junto da instantaneidade do consumo desse tipo de material formam o cenário ideal.


+ Notícias

Por que é um bom momento para usar o Kwai

Sempre de olho no consumidor (e nas redes sociais) 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS