Metaverso e a avatarização da influência

A criação de avatares no metaverso começa a seguir novos caminhos; conheça Pink, a primeira avatar do Brasil a ser diretora de marketing e criatividade de uma grande empresa

Tempo de leitura: 3 minutos

27 de julho de 2022

Imagem: (divulgação)

A criação de avatares no metaverso está muito além de um personagem divertido. Agora, muitas empresas já buscam a avatarização como principal mecanismo de influência com sua audiência e também como porta-voz dos valores da marca e novos direcionamentos.

É o caso da Pink, o primeiro avatar do Brasil a ser diretora de marketing e criatividade de uma grande empresa. Quem aposta nessa tendência aqui no Brasil é a empresária e influenciadora Bianca Andrade.

Bianca é idealizadora e CEO da Boca Rosa Company, holding de Boca Rosa Beauty e Boca Rosa Hair, empresas dedicadas ao ramo da beleza. A companhia também é um centro de inovação capitaneado por Bianca.

Além disso, Bianca também é influenciadora e começou a produzir conteúdo em 2011, no Youtube. Hoje, ela é uma das comunicadoras com maior visibilidade no país, acumulando 18,1 milhões de seguidores no Instagram, 5,7 milhões de inscritos no Youtube e 2,1 milhões de seguidores no TikTok.

“Eu sempre digo que quem inova, lidera mercado. É um dos lemas que levo para a minha vida e essa é a minha intenção com a Pink. A Boca Rosa Company já é referência em inovação e esse é mais um passo para estarmos sempre à frente do nosso tempo. A Pink será um alter ego meu e, a partir daí, o céu é o limite”, declara Bianca, bem feliz e confiante com a novidade da marca para metaverso. “Estou realizando o sonho de poder me multiplicar para fazer tudo o que almejo como influenciadora e com as minhas marcas. A Pink é um avatar que tem responsabilidade social e o objetivo de levar inovação”, completa.

Como é criar um avatar influenciador para metaverso?

Pink, foi criada pela Boca Rosa em parceria com a empresa Biobots para atuar no metaverso. A Biobots é referência em criação no metaverso e conta com um time integrado por profissionais da Pixar, precursora em animação no mundo. A Pink foi desenvolvida por uma equipe de oito especialistas, entre stylists, programadores, designers e outros.

Durante os três meses de criação da Pink, o time da Boca Rosa Company e da Biobots criaram um processo com diversas etapas e nuances. A primeira parte do desenvolvimento de um avatar é lúdica e tem o intuito de descobrir qual seria a função e o objetivo dele, além de toda a concepção dos conceitos de estilo, posicionamento e personalidade.

metaverso

Pink, a influenciadora avatar da Boca Rosa. O primeiro avatar do Brasil a ser diretora de marketing e criatividade de uma empresa. (imagem: divulgação)

Depois, vem a parte prática e técnica. Nesta segunda etapa, muito importante para a comunicação sobre quem o avatar de fato será, a Pink contou com um time de imagem composto por Daniel Ueda, Joana Wood, Fernando D’Araujo e Guilherme Brasileiro.

Segundo seus criadores, Pink pode ser resumida em três palavras: autenticidade, ousadia e liberdade. Pink, que acumula mais de 50 mil seguidores no Instagram mesmo antes do seu lançamento é “formada” em Marketing e agora insere a holding Boca Rosa Company no metaverso.

Vendas de produtos via NFT, participação em campanhas, envolvimento com marcas e uma experiência integrada entre o metaverso e o mundo real são alguns dos objetivos da Pink com a marca Boca Rosa, explica a companhia.

Conheça o Mundo do CX

A avatarização da influência sem limites no metaverso

Como criação, Pink se assemelha a Lu, da Magalu (Magazine Luiza), influenciadora virtual mais seguida do mundo no Instagram. No entanto, os criadores da Pink explicam que ela surge com a proposta de ser uma personagem com suas próprias opiniões, vivências e posturas, que atua de forma independente dentro do metaverso.

Ao que tudo indica, a criação de avatares cada vez mais específicos e voltados para todo tipo de comunicação e influência não terá limites no metaverso. Possivelmente, num futuro próximo, com a popularização do metaverso, veremos a maior presença de avatares de profissionais e executivos de diversas áreas e empresas se comunicando e trazendo novidades da sua marca para os adeptos do metaverso.

Mais do que um simples entretenimento ou modismo, a avatarização no metaverso começa a desenhar novos códigos para o aquilo que conhecemos como influenciadores digitais, propondo novos e desafiadores caminhos de atuação para os mais diversos profissionais interessados na digitalização como vetor de negócios e nas novidades em ambientes e comunicação entre marca e público.

Assine a nossa newsletter e receba os melhores insights sobre experiência do cliente 


+ Notícias
Engajamento: saiba o que é e como conquistá-lo para a sua empresa

Petverso e as novas fronteiras emocionais do Metaverso 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS