25% dos clientes compram produtos com selo INMETRO, diz Procon-SP

Um estudo feito pela Fundação Procon São Paulo mostra a percepção do consumidor sobre selo o INMETRO nos produtos para as crianças

Por: - 1 mês atrás

Procon Crédito: Unsplash

Um levantamento feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola Paulista de Defesa do Consumidor do Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, revela que apenas 25% dos consumidores nunca compram brinquedos sem o selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), órgão responsável pela certificação dos brinquedos no Brasil.

O selo do INMETRO é importante, pois garante qualidade e o cumprimento das normas brasileiras na fabricação do produto. Para certificar um produto, o INMETRO o submete a diversos testes e verificações que incluem a adequação das embalagens.

Secundário

O estudo tem outros dados preocupantes. De acordo com o levantamento, 74,82% não consideram prioridade observar se o brinquedo foi certificado pelo INMETRO. Além disso, 19,65% do total afirmam que sempre compram brinquedos sem o selo, enquanto 28,24% às vezes compram sem o selo e 26,93% não sabem se compram, pois não costumam observar.


Danos

Outro dado preocupante foi o número de pessoas que dizem que os filhos sofreram algum dano. Ao todo, 6,99% ou 48 pessoas contaram que as crianças tiveram algum tipo de incidente, sendo:

Sobre a indicação da idade adequada, informação obrigatória que deve estar impressa na embalagem, 67,98% (467), afirmaram que sempre verificam, 27,51% (189) às vezes e 4,51% (31) nunca observam. Observar e considerar a indicação de faixa etária ajuda a evitar a aquisição de um brinquedo inadequado. É essa indicação que permite conciliar os desejos das crianças com o quesito segurança.

O questionário ficou disponibilizado no site e redes sociais do Procon-SP, de 22 de agosto a 17 de setembro, com objetivo de verificar onde e como os consumidores usualmente compram brinquedos; quais cuidados tomam em relação à segurança ao escolher os brinquedos; se já tiveram problemas com danos e quais medidas tomaram.

Um total de 991 consumidores responderam à pesquisa e, destes, 687 declararam que costumam comprar brinquedos.


LEIA TAMBÉM

Procon São Paulo quer regra única para aplicação das multas no estado

Procon-SP comunica consumidores sobre recall de motos BMW

Acesso do consumidor ao Procon pela internet: um direito básico