“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Pandemias de vírus não são novidade no cinema – e durante um bom tempo renderam produções de ação com bons números de bilheteria

Enquanto o Brasil começa a sentir com força a propagação do coronavírus e medidas de restrição do contágio do novo coronavírus, como suspensão de aulas, trabalho em esquema de home office e cancelamento de eventos públicos, passam a se tornar realidade, ficar em casa parece ser mesmo a única alternativa para os próximos dias. A quarentena, adotadas antes somente em países da Europa e China, deve chegar por aqui, principalmente para quem está no grupo de risco para a infecção do Covid-19, por exemplo, pessoas acima dos 60 anos de idade. Mas o medo de pegar uma doença sobre a qual ainda se sabe pouco e de conviver com situações como mercados de prateleiras vazias, ruas sem nenhuma alma viva passando ou isolamento involuntário não é nenhuma novidade para diversas tramas cinematográficas.

Mais conteúdos como esse? Receba primeiro em seu e-mail:

De olho nesse gênero bem específico de ação – que antes parecia ser uma fábula, muito, muito distante, listamos aqui as 5 filmes mais bem-sucedidas do gênero. Quase todas têm algo em comum: um especialista que alerta todo mundo sobre o perigo de uma pandemia, só que é solenemente ignorado por seus pares, pelas autoridades até que a contaminação sair de controle e milhares de pessoas morrem. Ninguém poderá dizer que essa premissa é pura ficção, inclusive, no caso da infecção atual.

CONTÁGIO (2011)

Diversos filmes do começo dos anos 2000 abordaram o tema, entre eles, o drama com suspense “Contágio”, de 2011, estrelado por Matt Damon, Kate Winslet e Jude Law, além de Gwyneth Paltrow em começo de carreira. Dirigido por Steven Soderbergh (o mesmo da série “Onze Homens e Um Segredo”), narra como um vírus mortal se propaga pelos Estados Unidos deixando todos em alerta. Enquanto cientistas e autoridades tentam descobrir como controlar o andamento da contaminação, aeroportos, ruas, mercados, tudo vai ficando vazio. Mas aqui, a epidemia é altamente letal. A produção arrecadou mais de 135 milhões de dólares em bilheteria. Qualquer semelhança com as cenas dos últimos dias…

“EPIDEMIA – FORA DE CONTROLE” (1995)

Um dos primeiros filmes a abordar o assunto, este longa-metragem teve a bilheteria impulsionada pelo segundo grande surto de ebola na História, que começou em 1995 no Congo, na África. Dos 315 infectados inicialmente, 254 pessoas morreram. Na trama ficcional, um pequeno macaco capturado em uma floresta africana é traficado para uma loja de animais na Califórnia. Carregando um vírus mortal dentro de si (em alusão direta ao ebola praticamente), o animal selvagem dissemina a doença, que deve ser impedida de se propagar por um grupo de cientistas do Exército norte-americano. Estrelado por Rene Russo, Dustin Hoffman e Morgan Freeman, “Epidemia” arrecadou mais de 180 milhões de dólares em bilheteria.

“EU SOU A LENDA” (2007)

Na trama que é um dos maiores sucessos da carreira de Will Smith, o vírus mortal não causa nenhuma doença inflamatória assassina. Ele, na verdade, te transforma mesmo é em um zumbi comedor de gente. O thriller que tem também a brasileira Alice Braga no elenco se passa em um futuro não muito distante no qual uma epidemia matou boa parte da população e transformou quem sobrou em morto-vivo ambulante. Will interpreta Robert Neville, um cientista sobrevivente dessa carnificina que todos os dias tenta se manter vivo diante da ameaça mutante. Difícil encontrar quem não tenha visto essa produção, que rendeu mais de 500 milhões de dólares de bilheteria e uma continuação, que estreou no ano de 2019.

“OS 12 MACACOS” (1995)

Brad Pitt e Bruce Willis estão juntos nessa ficção que mistura elementos de filmes de pandemia com sci-fi. Dirigida por Terry Gillian (de “Irmãos Grimm”), a história se passa em 2035, quando um prisioneiro é mandado de volta ao passado para tentar salvar a humanidade da extinção depois de um vírus se espalhar por todo o planeta. A ideia é encontrar algo que ajude a desenvolver um remédio de cura. Os poucos sobreviventes desse futuro horrendo vivem em abrigos subterrâneos. O longa deu o que falar na época por causa de sua linha de narrativa pouco convencional e está listados entre as ficções científicas mais cult da década de 90. 

“PANDEMIA” (2020)

A série documental da Netflix traz, em seis episódios, acontecimentos relacionados à diversas epidemias pelo mundo, passando pelo Influenza, nome científico da gripe comum, além do surto de ebola, gripe aviária, H1N1, entre outras. A história começa com a Gripe Espanhola, que chegou a matar milhões de pessoas no começo do século 20. Cientistas em busca de vacinas, médicos que tratam das doenças e especialistas em pandemia estão nos capítulos. Ninguém sabia que o coronavírus seria o vírus de contágio da vez, mas não se pode negar o timing bem-sucedido do documentário.


5 lições de “Parasita” que explicam seu sucesso

“Hair Love”: separe 7 minutos para assistir ao curta sobre cabelo afro que ganhou o Oscar

“Coringa” está no topo da lista dos 100 melhores da década

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS