5 vantagens que o Pix traz para as empresas

CMO da Transfeera comenta quais pontos são mais vantajosos para as empresas com o uso do Pix

Foto: Shutterstock

Que o Pix tem ganhado fama entre as pessoas como forma de pagamento e transferências, a maior parte das pessoas já sabe. Agora, a vantagem dessa ferramenta, na verdade, não tem sido apenas para as pessoas físicas. Ela também tem feito muito sucesso para as empresas e pode revolucionar a jornada de compra e venda.

Ainda que haja uma cobrança nas transações, o Pix segue como um meio de pagamento muito vantajoso para as empresas. “Em 2021, os bancos passaram a cobrar taxas de transações quando feitas pelo PIX, com isso, hoje as tarifas já são realidade — e elas vêm evoluindo junto com as novas funcionalidades que o sistema de pagamentos instantâneo apresenta”, explica Fernando Nunes, cofundador e CMO na fintech Transfeera.

Ele destaca, ainda, cinco vantagens que o Pix trouxe para as empresas. Confira:

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente  

O Pix trouxe comodidade

Um dos primeiros passos, destaca o CMO, é a comodidade que as empresas agora possuem com esse novo meio de pagamento, capaz acelerar processos e trazer mais tempo útil a outras operações mais complexas.

“Antes do Pix as transferências levavam um tempo até serem efetuadas com sucesso e, em muitos casos, era preciso se deslocar até o banco. Hoje existe a facilidade de que tudo pode ser realizado através do celular”, pontua Nunes. “Agilidade, eficiência e produtividade são as principais características que o novo modelo de pagamento instantâneo trouxe para as operações financeiras das empresas”.

E por falar em agilidade…

Ser ágil é só uma das vantagens. A diferença real do Pix está mesmo na velocidade com a qual as operações são feitas. “O tempo de cerca de 10 segundos que o valor é enviado e recebido torna o novo tipo de pagamento chamar mais atenção. Velocidade totalmente diferente de boletos bancários, por exemplo, que precisa de até três dias úteis para ter o pagamento reconhecido”, complementa o CMO da Transfeera.

Essa agilidade, vale destacar, tem feito com que as operações com Pix aumentem ano após ano. Segundo o Banco Central, mais de 8 milhões de pessoas jurídicas já realizaram pagamentos via Pix.

Leia mais: Pix e cartão virtual atendem público cada vez mais consciente

Controle do fluxo de caixa e volume de transações

Outro ponto em que o Pix tem ajudado (e muito) as empresas é no controle do fluxo de caixa, para ter mais conhecimento das entradas e saídas financeiras.

“Os empresários conseguem ter um melhor controle do fluxo de caixa, pois, com o extrato, é possível verificar quais valores de fato entraram e quais saíram. Além disso, também proporciona escala no volume de transações, pela comodidade e simplicidade da operação. Isso permite uma melhor organização devido a automação de processos”, argumenta Nunes.

Taxas baixas e retorno financeiro do Pix

Antes do Pix, as taxas de uso de outros meios de pagamento tinham um preço elevado e revertiam pouco valor em comparação ao serviço entregue. Com o Pix, como explica Fernando Nunes, esse cenário se transformou.

“Mesmo com as tarifas, o Pix não deixa de ser viável, pois as vantagens se sobrepõem. Ademais, a taxação é imposta apenas às transações realizadas, dispensando custos extras com aluguéis de maquininhas, por exemplo”, diz ele.

Conheça o Mundo do CX

O fim dos intermediários

Por fim, um último ponto que é destaque para as empresas no uso de Pix é trazer, de uma vez por todas, o fim dos intermediários nas operações bancárias, posto que o contato entre as partes acaba sendo mais próximo.

“O Pix conecta diretamente pagador e recebedor, eliminando intermediários, cortando consideravelmente custos de operação e barateando o valor cobrado do usuário. Vale ressaltar que o setor financeiro está crescendo cada vez mais e se desenvolvendo com novas tecnologias, além dos tradicionais bancos, que oferecem serviços já conhecidos incluindo o Pix, portanto, é imprescindível fazer uma pesquisa a fim de encontrar as melhores tarifas e condições de serviços dessas instituições”, finaliza ele.


+ Notícias

Varejo disruptivo: como o Open Banking e o PIX devem transformar o setor no futuro

Pix parcelado: como funciona e o que muda para o consumidor? 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS