As estratégias do varejo para o Dia das Mães

Drive-thru, vale-presente e ampliação do portfólio são algumas das alternativas encontradas pelos varejistas para o próximo Dia das Mães

Foto: Shutterstock

O Dia das Mães é uma data fundamental para o varejo no primeiro semestre. Afinal, o primeiro domingo de maio é apontado como a segunda data mais importante do varejo nacional, atrás apenas do Natal.

Porém, diante do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, surgem algumas dúvidas. Como será a comemoração nesse ano? O que fazer para as vendas sofrerem o menor impacto possível?

Maioria vai consumir

Uma pesquisa da Mindminers mostrou que os consumidores ainda têm a intenção de presentear suas mães, sogras ou companheiras.

De acordo com o levantamento, cerca de dois terços (63%) dos participantes disseram que pretendem participar das comemorações entregando presentes. Realizar refeições especiais em casa é a segunda forma mais comum de comemorar a data, citada por 60% dos respondentes.

Além disso, um quarto (25%) dos participantes informaram que não pretendem comprar presente para a data, mas que irão esperar outro momento para comprá-los. Ou seja, uma parcela dos consumidores que não presentearem suas mãe ou sogras agora vai comprar em função da data mais tarde.

Principais categorias

Os principais presentes para o Dia das Mães 2020 são: Cosméticos/Perfumes, Roupas e Acessórios de vestuário, nesta ordem:

  • Cosméticos/Perfumes: 37%
  • Roupa: 19%
  • Acessórios de Vestuário: 18%
  • Refeições: 17%
  • Calçados: 17%
  • Flores: 15%
  • Bolsas: 10%
  • Comidas e Bebidas: 6%
  • Itens de Decoração/Cama, Mesa e Banho: 6%
  • Eletrodomésticos: 5%
  • Smartphones: 5%
  • Maquiagem: 5%
  • Vale Presente: 5%
  • Livros: 3%
  • Viagens/Passeios: 1%
  • Computadores: 1%
  • Tablets: 1%

Alternativas

Ainda que a intenção da maioria dos consumidores seja de comprar em função do Dia das Mães, a expectativa é de queda nas vendas. A FecomercioSP estima desaceleração de 31% nas vendas da temporada em São Paulo.

Já a previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é mais agressiva. A entidade projeta um encolhimento de 59,2% no faturamento real do setor na data.

Para fugir do prejuízo, os varejistas estão correndo atrás de soluções como delivery, vouchers e diversificação do portfólio.

A rede de farmácias Pague Menos está oferecendo camisetas comemorativas com frases especiais para presentear as mães. Já a rede Sterna Café, maior franquia de cafés especiais do país, elaborou três kits exclusivos de café da manhã para que os filhos possam presentear as mães, mesmo que à distância.

A brMalls, que administra 29 shoppings em 11 estados do País, está incentivando o consumidor a comprar um vale-presente para sua mãe. Na compra do voucher, os clientes podem receber 20% de cashback e os lojistas recebem o dinheiro na hora. Depois, as mães podem retirar seus presentes no shopping. As compras são feitas em um marketplace criado pela administradora.

A C&A lançou o “Clique & Retire Drive Thru” em mais de 90 lojas, localizadas em shoppings centers de todo o país. A nova modalidade oferece a possibilidade de a cliente realizar suas compras no e-commerce, via site ou aplicativo, e retirá-las de carro em loja física da sua preferência. Inaugurado no início desta semana, o serviço já está disponível em 10 Estados, além do Distrito Federal e seguirá em operação durante a pandemia.

O C&A é gratuito e mais rápido do que a entrega tradicional do e-commerce em domicílio. Para compras realizadas até às 15h, a retirada pode ser feita no mesmo dia, enquanto o prazo médio de entrega do e-commerce é de dois a quatro dias úteis de acordo com o Estado. Atualmente, o serviço já está disponível nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro,  Espírito Santo, Paraná, Bahia, Goiás, Rio Grande do Norte, Alagoas, Tocantins, além do Distrito Federal.

Voucherização

A “voucherização” é uma das soluções comuns em tempos de pandemia. Empresas de turismo, de beleza e do varejo alimentar têm apostado nessa alternativa para aliviar o fluxo de caixa.

“Nesse momento desafiador, nosso papel se torna cada vez mais relevante no ecossistema do varejo brasileiro. Por isso, temos atuado não apenas para manter a conexão do cliente com os shoppings, como também para dar suporte ao varejista que tem sido duramente afetado pela crise da COVID-19”, afirma Mairá Mendonça, Gerente de Trade e Marketing da brMalls.

A brMalls ainda criou um sistema de drive-thru, uma alternativa que vem sendo adotada por muitos shopping centers. Hoje, 23 dos 29 shoppings da companhia dão ao cliente a opção de adquirir o produto online e retirar no shopping em horário marcado.

Comunicação com o cliente

Em um momento onde o contato físico é limitado, estabelecer um relacionamento com o consumidor usando canais digitais é essencial.

Israel Nacaxe, COO da Propz, afirma que “as marcas devem criar ações de marketing bem direcionadas, além de utilizar novos canais de comunicação com os seus clientes, como Facebook, Instagram e WhatsApp”.

Uma pesquisa do Google se aproxima do número medido pela Mindminers e mostra que 60% dos consumidores devem comprar presentes em função da data comemorativa. Desses consumidores, 37% vão comprar online.

Nesse contexto, as redes sociais devem desempenhar papel fundamental nas vendas de um Dia das Mães marcado pelo isolamento social. “Elas serão determinantes para as marcas aumentarem as suas vendas e alcançar um público que antes, apenas com a loja física, não conseguiam”.

Metade dos jovens demanda atitude mais proativa das empresas
Como e por que ser disruptivo no varejo?






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS