Os desafios atuais da gestão de pessoas e como enfrentá-los

Pesquisa revela que mudança na forma de se comunicar e inovações para tornar o trabalho mais integrado são promessas para o futuro

Foto: Shutterstock

O ano de 2020 foi desafiador para todo o mundo. Com a pandemia de Covid-19 foi preciso reinventar as formas de trabalho e de convívio social, o que afetou diversos aspectos da rotina, desde a produtividade até a saúde mental.

Como consequência, as empresas precisaram se atentar a esses elementos, o que foi desafiador para quem lida com gestão de pessoas. É o que indica o relatório do Great Place To Work (GPTW).

Saiba mais sobre o cenário e como se preparar para lidar com os próximos desafios.

Os principais desafios da gestão de pessoas

A gestão de pessoas, por si só, já é uma área desafiadora dentro das empresas. Afinal, sem uma comunidade integrada, fica mais difícil atender os resultados desejados. Entretanto, as novas situações trazidas pelo cenário de pandemia tornaram esse setor ainda mais importante.

A pesquisa do GPTW foi realizada em dezembro de 2020 com 1.724 pessoas, que opinaram sobre diversos pontos, como saúde mental no trabalho, diversidade e inovação.

De acordo com os resultados, os principais desafios de gestão de pessoas em 2020 foram:

  1. Flexibilizar a estrutura de trabalho (home office, horário flexível, modelo híbrido etc);
  2. Fazer uma comunicação interna eficiente (tanto do RH quanto entre a equipe);
  3. Criar a mentalidade digital entre a liderança;
  4. Criar programas e oferecer benefícios voltados para a saúde mental;
  5. Criar a mentalidade digital entre os colaboradores (fora da liderança);
  6. Estruturar processos tradicionais de RH.

Além desses, também foram citados os desafios de trabalhar o tema diversidade e inclusão, utilizar ferramentas inovadoras (como inteligência artificial) e fortalecer a relação entre empresa e colaborador.

Ou seja, a distância, o setor de gestão de pessoas teve que encontrar formas de melhorar a relação do colaborador com a empresa, com seus colegas de trabalho e até reconectar os propósitos do negócio.

Lina Eiko Nakata, cientista de dados do GPTW, afirma que o relatório mostra bem a realidade do que aconteceu em 2020. “O que a gente vê sobre saúde mental, por exemplo, é que a preocupação com isso se agravou bastante, por conta da nova realidade, das novas formas de trabalho, que exigiram mudanças na rotina dentro de casa e com a família”, afirma.

Tendências e desafios em 2021

As mudanças ocorridas em 2020 ainda vão reverberar por mais algum tempo.

“Uma das tendências é o formato híbrido, mas a realidade é que muitas pessoas realizam trabalhos que precisam ser presenciais. Até os que não precisam, às vezes trabalham em empresas com lideranças inseguras, que pedem essa presença física”, diz Lina Nakata.

Leia também: Saiba quais profissões estão ameaçadas pelas novas diretrizes de presença física 

Por isso, quando se trata de gestão de pessoas, os próximos anos prometem mudanças na maneira de se comunicar e lidar com o colaborador, e também inovações para tornar o trabalho mais integrado.

Segundo o GPTW, as principais tendências e desafios para gestão de pessoas são:

  1. Comunicação interna;
  2. Mudança de mindset da liderança;
  3. Flexibilização de trabalho;
  4. Transformação digital;
  5. Saúde mental;
  6. Employee experience;
  7. Diversidade e inclusão.

Além desses temas, princípios ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa), inteligência artificial e employer branding foram outros temas citados como preocupação das empresas para 2021 e próximos anos.

Como é possível notar, esses elementos estão sendo vistos como essenciais para uma boa gestão de pessoas e colaboradores mais motivados.

“Este impacto no bem-estar dos colaboradores, aliás, foi um tema largamente debatido em 2020 e que, claro, continua em pauta em 2021. Saúde mental foi citada por 38% dos respondentes da pesquisa do GPTW como o principal tema de gestão de pessoas a ser trabalhado, logo depois de transformação digital, que aparece em 4º lugar com 42% dos votos”, aponta o texto do relatório.

Saúde mental, diversidade e inovação

Esses três temas estão no radar dos líderes, gestores e colaboradores. Na pesquisa, apareceram com grande importância como desafio, mas também como tendência. De acordo com Lina Nakata, o ano passado deixou clara a importância de se pensar em saúde mental, além de mostrar a relação entre diversidade e inovação.

“Boa parte das empresas entendem que a saúde mental é uma função de co-responsabilidade da empresa perante as pessoas. Não é apenas uma questão dos colaboradores, entendeu-se que o trabalho, a liderança e os gestores afetam bastante a saúde mental e podem, inclusive, agravar casos”, explica.

Segundo ela, é essencial que a gestão de pessoas esteja atenta a isso, pois a saúde mental compromete não apenas o rendimento, mas as relações entre as pessoas dentro da empresa.

A diversidade também despontou como um tema de relevância, apesar de, segundo Lina Nakata, ainda ser um tema pouco trabalhado em algumas empresas, não sendo o foco de muitas delas para um futuro próximo.

Entretanto, de acordo com a cientista, a inovação, um dos temas mais importantes, está diretamente relacionada com a diversidade. “O momento da pandemia pede por inovação, que só é conseguida com a diversidade”, afirma. Dar espaço para novas ideias e sugestões é essencial, e a diversidade pode ajudar nisso.

Como melhorar a gestão de pessoas para lidar com desafios

Levando em consideração esses três pontos principais, a especialista em dados da GPTW afirma que muitos desses “problemas” estão relacionados ao mindset das pessoas da empresa, que tornam as soluções mais difíceis de serem enxergadas.

“Atitudes precisam vir da alta liderança. Enquanto os próprios líderes não forem modelos para tentar melhorar a gestão de pessoas, as mudanças não vão acontecer. Essas pessoas devem ser as primeiras a darem exemplo de empatia e pensar nas pessoas como indivíduos, não só como profissionais”, sugere Lina Nakata.

As empresas também precisam se importar verdadeiramente com esses temas. “Se as ações que visam melhorar esses cenários não são praticadas, não será fácil resolvê-las”, explica a especialista do GPTW, acrescentando que é preciso transparecer esses valores, da liderança até a base.

Além disso, dar autonomia para setores de gestão de pessoas e comitês é essencial para intensificar o debate dentro das empresas. “Por exemplo, se a diversidade não for constante, ela não acontece. Não é com uma palestra que as pessoas vão entender e se sensibilizar pelo assunto. É preciso fortalecer esse discurso e mostrar a preocupação com isso de diferentes maneiras”, finaliza a especialista em dados.

O ano de 2020 trouxe inúmeras adversidades, mas também abriu espaço para novas formas de trabalho e interação. Inovar na gestão de pessoas e dar espaço para que mudanças sejam feitas é um dos principais caminhos para enfrentar os novos desafios que estão por vir.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

CM 260: Conarec 2020 e sua imersão em experiência em um mundo antinormal

VEJA MAIS