Pesquisa aponta redução de consumo entre as Classes C e D

Contas de início de ano e o aumento dos preços dos alimentos e combustível foram determinantes para a queda do consumo no Brasil

Foto: Pexels

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 3% em fevereiro ante janeiro deste ano, de acordo com a Pesquisa de Hábitos de Consumo da Superdigital, fintech do Grupo Santander focada em inclusão econômica.

O levantamento é realizado mensalmente e busca traçar o perfil do consumidor das classes C e D do Brasil.

Na pesquisa, todas as regiões do Brasil mostraram queda no consumo, com o Norte impactando mais no resultado (-12%). Nas demais regiões, o Centro-Oeste fechou com redução de 9,3% no consumo, seguido do Sul, com 5,8% de queda, Nordeste, com retração de 5,5% e Sudeste, que viu seu consumo recuar 2%.

Luciana Godoy, CEO da Superdigital Brasil, afirma que o consumo foi impactado por ajustes que as famílias estão fazendo em seus orçamentos no início do ano.

“As classes C e D sentem mais os efeitos das grandes contas do início do ano, como IPTU, IPVA, material escolar e pagamento de compras parceladas feitas para as festas. Além disso, com o aumento dos preços dos alimentos e dos combustíveis, o orçamento mensal fica sobrecarregado”, afirma a executiva.

Leia mais: influenciadores falam sobre um novo modo de encarar o consumo

Diversão e Entretenimento foram o setores de maior recesso

Os setores que mostraram quedas mais significativa no consumo foram Diversão e Entretenimento (-15%), Drogaria e Farmácia (-9%,) Hotéis e Motéis (-8%), Rede Online (-6%), Serviços (-3%) e Supermercado (-3%).

Já o setor que se destacou com uma alta relevante no consumo foi o de Companhias Aéreas, que subiu 16%.

Lojas de Roupas, Automóveis e Veículos e Telecomunicações também cresceram, 1% cada.

“Não podemos esquecer que registramos um consumo bastante relevante dessa fatia da população em dezembro de 2021 e é natural que agora ocorra um ajuste de orçamento”, completa Luciana.

Imagem: Superdigital

Supermercado: principal gasto do brasileiro

O levantamento mostrou também que o principal gasto no orçamento continua sendo com Supermercado (37%), seguido de Restaurantes (13%), Lojas de Artigos Diversos (11%) e Combustível (7%).

consumo

Imagem: Superdigital

Gastos presenciais são maioria

consumo

Imagem: Superdigital

Outro dado da pesquisa mostrou que 87% dos gastos totais foram feitos presencialmente, o que representa um ponto percentual a mais se comparado a janeiro.

Variações de ticket médio

Em relação ao ticket médio, houve queda significativa nos setores de Diversão e Entretenimento (-9%), Hotéis e Motéis (-8%), Rede Online (-6%), Drogaria e Farmácia (-4%), Restaurante (-3%) e Serviços (-3%). Contudo, subiu o ticket médio gasto com Companhias Aéreas (9%) e Telecomunicações (2%).

consumo

Imagem: Superdigital

Recortes regionais

Rio e São Paulo observaram queda em gastos com lazer. No Sul as maiores baixas foram em Aéreas e Automóveis, em contrapartida, outros regiões observaram alta destes setores. Confira os detalhes em cada região do Brasil.

SUDESTE

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, o consumo seguiu os dados nacionais com uma queda de 14,3% em relação ao mês anterior. O resultado foi puxado principalmente pelos setores Diversão e Entretenimento (-28%), Hotéis e Motéis (-22%), Serviços (-10%), Companhias Aéreas (-8%) e Drogaria/Farmácia (-8%). No entanto, foram observados aumentos de gastos com Prestadores de Serviços (11%), Transporte (7%), Automóveis e Veículos (7%) e Combustível (6%).

São Paulo

Em São Paulo, o consumo ficou praticamente estável, com leve aumento de 0,2% ante janeiro. Os setores que apresentaram altas foram Companhias Aéreas (10%), Automóveis e Veículos (4%), Lojas de Roupas (4%), Transportes (2%) e Restaurantes (2%). As quedas foram observadas nos setores de Diversão e Entretenimento (-19%), Hotéis e Motéis (-9%), Drogaria/Farmácia (-9%), Serviços (-3%) e Rede Online (-2%).

Minas Gerais

Em Minas Gerais, o consumo em fevereiro teve um aumento de 1% em comparação ao mês anterior. O destaque é o setor Companhias Aéreas, com expressiva alta de 61%, seguido por Transporte (11%) e Lojas de Roupas (1%). Os setores que apresentaram queda no período foram Diversões e Entretenimento (-21%), Rede Online (-15%), Automóveis e Veículos (-15%), Hotéis e Motéis (-12%), Drogaria/Farmácia (-8%), Serviços (-7%), Supermercado (-7%) e Prestadores de Serviços (-5%).

Espírito Santo

No Espírito Santo, o consumo fechou o mês com baixa de 3,9%. Os principais setores que contribuíram coma a queda foram Companhias Aéreas (-61%), Prestadores de Serviços (-24%), Transporte (-22%), Drogaria/Farmácia (-15%), Diversão e Entretenimento (-14%), Restaurante (-9%), Hotéis e Motéis (-8%) e Lojas de Roupas (-6%). Os setores que apresentaram crescimento foram Telecomunicação (15%), Combustível (14%), Lojas de Artigos Diversos (8%) e Serviços (2%).

Leia mais: Como a revolução politicamente correta está orientando o consumo

 SUL

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul foi observada queda de 2,4% no consumo em fevereiro ante janeiro. As maiores baixas foram Companhias Aéreas (-71%), Automóveis e Veículos (-24%), Diversão e Entretenimento (-18%) e Drogaria e Farmácia (-8%). No entanto, houve um aumento considerável no setor Rede Online (41%), seguido por Lojas de Artigos Diversos (14%), Hotéis e Motéis (13%), Telecomunicações (12%), Serviços (8%), Lojas de Roupas (5%) e Restaurante (4%).

Paraná

No Paraná, fevereiro apresentou diminuição no consumo de 4% ante janeiro, impulsionada pelos setores Prestadores de Serviços (-10%), Drogaria/Farmácia (-9%), Automóveis e Veículos (-9%), Serviços (-6%), Diversão e Entretenimento (-6%), Restaurante (-5%) e Supermercado (-2%). As altas foram observadas nos setores de Hotéis e Motéis (7%), Transporte (7%), Companhias Aéreas (5%), Lojas de Roupas (5%), Combustível (4%) e Lojas de Artigos Diversos (1%).

CENTRO-OESTE

Goiás

Em Goiás, foi observada uma queda de 12,2% em fevereiro. Houve uma expressiva alta no setor de Companhias Aéreas (172%) seguido por Automóveis e Veículos (10%). No entanto, foram observados diminuição de gastos nos setores Diversão e Entretenimento (-32%), Rede Online (-30%), Lojas de Roupas (-20%), Transporte (-15%), Prestadores de Serviços (-14%), Drogaria/Farmácia (-10%), Hotéis e Motéis (-9%) e Lojas de Artigos Diversos (-8%).

Mato Grosso

No Mato Grosso, o consumo fechou em queda de 4,3% ante janeiro. As maiores altas foram nos setores Companhias Aéreas (135%), Diversão e Entretenimento (31%), Transporte (27%), Telecomunicação (5%), Drogaria/Farmácia (5%) e Restaurante (4%). Por outro lado, houve queda nos setores de Rede Online (-41%), Automóveis e Veículos (-28%), Lojas de Roupas (-13%), Hotéis e Motéis (-11%), Prestadores de Serviços (-8%), Supermercado (-5%) e Combustível (-5%).

Norte

Amazonas

No Amazonas, o consumo apresentou queda de 8,1% em fevereiro. Os destaques de alta foram nos setores Automóveis e Veículos (70%), Prestadores de Serviços (11%), Combustível (8%), Telecomunicação (7%) e Rede Online (6%). Já as quedas foram observadas nos setores de Lojas de Roupas (-12%), Serviços (-11%), Hotéis e Motéis (-10%), Drogaria/Farmácia (-10%), Companhias Aéreas (-9%), Restaurante (-8%) e Lojas de Artigos Diversos (-7%).

Pará

No Pará, o mês de fevereiro apresentou diminuição no consumo de 8,9% sobre o mês anterior. Os setores com maiores altas foram Companhias Aéreas (195%), Diversão e Entretenimento (5%), Restaurante (5%), Prestadores de Serviços (4%) e Hotéis e Motéis (1%). Já as quedas foram vistas em Automóveis e Veículos (-22%), Drogaria/Farmácia (-16%), Rede Online (-13%), Lojas de Artigos Diversos (-9%), Supermercado (-8%) e Transporte (-6%).

NORDESTE

Bahia

Na Bahia, o consumo teve uma pequena diminuição de 2,4% em fevereiro ante janeiro. Houve uma expressiva alta no setor de Automóveis e Veículos (96%) seguido por Companhias Aéreas (27%), Diversão e Entretenimento (9%), Serviços (4%) e Lojas de Roupas (1%). Recuaram os gastos com Hotéis e Motéis (-15%), Rede Online (-11%), Drogaria/Farmácia (-8%), Prestadores de Serviços (-6%), Combustível (-6%) e Transporte (-4%).

Ceará

O consumo no Ceará ficou praticamente estável, com leve queda de 0,6% em relação ao mês anterior. No período, os setores que se destacaram com alta foram Automóveis e Veículos (51%), Hotéis e Motéis (39%) e Telecomunicação (6%). Entretanto, recuaram os gastos com Companhias Aéreas (-59%), Drogaria/Farmácia (-15%), Rede Online (-10%), Diversão e Entretenimento (-4%), Combustível (-4%), Lojas de Roupas (-4%) e Supermercado (-2%).

Pernambuco

Em Pernambuco, o consumo apresentou uma queda de 2,9% em fevereiro em comparação com janeiro. Os setores que se destacaram com a alta foram Automóveis e Veículos (39%), Diversão e Entretenimento (18%), Lojas de Roupas (5%), Telecomunicação (3%), Prestadores de Serviços (3%) e Restaurante (2%). Por outro lado, as classes C e D em Pernambuco gastaram menos com Hotéis e Motéis (-23%), Serviços (-14%), Transporte (-8%), Drogaria/Farmácia (-7%), Companhias Aéreas (-6%), Combustível (-3%), Lojas de Artigos Diversos (-2%) e Supermercado (-1%).

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente  


+ Notícias

Alto consumo de streaming de vídeos indica futuro promissor do formato 

A estratégia da Livraria Leitura que garante seu sucesso nas lojas físicas 

 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS