Qual é a mais ambiciosa e surpreendente experiência que você quer criar para o seu cliente?

No Consumidor Moderno Experience Summit, projetar as consequências das tendências impõe criar histórias envolventes

Foto: Consumidor Moderno

Contar e se entreter por histórias é um dos mais belos legados da humanidade. Não há ideia, movimento ou campanha de sucesso que abra mão de uma narrativa capaz de apelar para nossas emoções para criar engajamento. O poder do storytelling é notável para dar sentido à experiência do cliente. Durante o Consumidor Moderno Experience Summit, os participantes puderam fazer diversos exercícios voltados para desdobrar tendências e então criar narrativas envolventes a partir delas. O princípio é mostrar como se apropriar de processos de cocriação e discussão de tendências a partir da construção de cenários futuros que possam impactar e trazer consequências não imaginadas para os negócios e, a partir daí, modelar histórias que surpreendam e conquistem.

Segundo Benito Berretta, Managing Director Américas da Hyper Island, o cérebro humano é um processador de histórias e não de lógica. Exatamente por isso que nos deixamos encantar por narrativas que extrapolem a Ramão e criam até mesmo pontos de refúgio e recriação da realidade. Nesse sentido, tudo que puder ser transformado em história, será, ou, caso contrário, será tragado ou ignorado pela enxurrada de informações que recebemos a cada minuto.

Mas de que forma podemos irar histórias excitantes, capazes de apelar para nossas emoções? Marsal McLuhan, intelectual canadense, defendeu uma tese há mais de 50 anos de que o meio é a mensagem. No entanto, sob uma perspectiva mais consistente, sintonizada com o desenvolvimento acelerado de novas plataformas de produção e geração de comunicação, o mensageiro é a mensagem. Esse é o primeiro de cinco passos cruciais para criar grandes histórias e, por extensão, narrativas que redundem em experiências poderosas.

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

Storytelling — somos todos Sherazade?

Benito diz que todos podemos nos especializar em contar boas histórias, assim como Sherazade fez durante as 1001 noites. Para isso, devemos assumir que uma marca deve ser a própria mensagem, definindo um comunicado ou motivo central, falando com desconhecidos por meio de estruturas narrativas e que tragam, ao final, o “sal da vida” — aquele elemento capaz de retirar os elementos dos eixos, criar uma sensação inusitada, uma surpresa a partir de um desfecho ou situação inesperada.

É essencial que uma história — e a experiência que ela traduza — provoque ou evoque uma mudança real na vida das pessoas. Atender a essa necessidade, respondendo um porquê, ativa o sistema límbico deanossa mente e, então, desencadeia uma cadeia de manifestações sensoriais que nos aproxima da narrativa e a torna crível e plena de significado.

Durante o workshop, os participantes do Summit puderam exercitar esses princípios e foram desafiados a criar, a partir de cenários possíveis, um vídeo que contasse uma história, na qual uma tendência seria determinante para provocar uma mudança real na vida das pessoas. Segundo Aristóteles, a persuasão de uma história está fundamentada no Ethos (credibilidade), no Páthos (emoção) ou no Logos (Razão). Assim, é necessário evocar dramas, curvas emocionais com desafios para mostrar um elemento transformador que seduz, encanta, envolve e traz significados para as pessoas.

Exatamente essa curva emocional trazida pela história precisa estar contida na experiência oferecida ao cliente, para que as noções de otimização de tempo, custo, facilidade de uso e resposta ao comportamento de uso se conectem com o sistema límbico, gerando emoções satisfatórias.

A ideia geral praticada da combinação de storytelling e experiência envolve enquadrar um problema, uma dor, tendência, desejo ou necessidade, mostrar o quanto esse fenômeno pode criar sentimentos diversos e surpreender com uma resposta plena de significados.

Saiba mais sobre a experiência do cliente no #CMSummit2021

A experiência em CX sob o conceito de Moonshot Thinking vai alavancar definitivamente os seus passos em direção ao sucesso. Prepare-se para o futuro do consumo que irá modelar o seu negócio!

Assine a nossa newsletter e fique por dentro das notícias sobre a experiência do cliente

Consumidor Moderno Experience Summit 2021 trará o tema: “Moonshot: o poder do CX para a criação de estratégias vencedoras de futuro”, com um conteúdo inédito e exclusivo, desenvolvido especialmente pela Hyper Island, a escola de inovação mais influente do mundo, com a curadoria da área de Conhecimento da Consumidor Moderno.

Summit

#CMSummit2021 traz o tema: “Moonshot: o poder do CX para a criação de estratégias vencedoras de futuro” | Foto: Jacques Meir

A palavra “moonshot”, em tradução literal, significa “voo à lua”. O nome originou-se do projeto Apolo 11, responsável por levar o homem à lua pela primeira vez na História. Para que o marco fosse possível, a Nasa precisou utilizar inovações precursoras ao longo de toda a missão, já que na época não existiam as tecnologias que temos hoje, à disposição, para alcançar tal objetivo.

Esse é o conceito por trás do Moonshot Thinking: a resolução de problemas através da utilização de soluções e tecnologias disruptivas. A metodologia utilizada nesta edição tem como principal objetivo fazer com que as empresas participantes alcancem resultados 10 vezes maiores, e não apenas 10% melhores. Esta consciência inovadora é a grande responsável pelo desenvolvimento de tecnologias revolucionárias, como a inteligência artificial.

Ao participar dessa poderosa imersão, você estará pronto para o seu papel no futuro, independentemente do que quer criar para a sua empresa. Para saber mais, acesse o portal oficial do evento e acompanhe a cobertura especial a partir do Portal Consumidor Moderno.


+ Notícias

Começar do zero ou remodelar o existente: o melhor caminho para a inovação

A criatividade sistematizada e pronta para uso




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS